O uso do particípio

Prezado leitor, um dos erros mais comuns ao usar a língua portuguesa é o emprego do particípio. Em concursos e provas, o seu uso de forma errada derruba candidatos menos atentos e joga por terra o sonho de conquistar o tão desejado emprego.

Para você não errar ou empregar mal o particípio, aqui vão algumas dicas:

Ele tinha ENTREGUE ou ENTREGADO os documentos?

Quando o verbo apresenta dois particípios, a regra é a seguinte:

a) Com o verbo auxiliar TER (ou HAVER), devemos usar a forma regular (= com terminação “-ado” ou “-ido”).

b) Com o verbo auxiliar SER (ou ESTAR), devemos usar a forma irregular.

Portanto, a maneira correta é:

“Ele TINHA ENTREGADO os documentos.”

“Os documentos FORAM ENTREGUES por ele.”

Observe outros exemplos:

Observação 1:

A princípio, esta regra também se aplica aos verbos GANHAR (ganho e ganhado); GASTAR (gasto e gastado); PAGAR (pago e pagado) e PEGAR (pego e pegado):

“Ele tinha ganhado, gastado, pagado e pegado”;

“Isso foi ganho, gasto, pago e pego”.

As formas regulares estão em desuso. Muitos autores aceitam as formas irregulares até com os verbos TER e HAVER:

“Ele TINHA GANHO, TINHA GASTO, TINHA PAGO e TINHA PEGO”.

Observação 2:

Os verbos TRAZER, CHEGAR e EMPREGAR não são abundantes. Apresentam apenas um particípio: TRAZIDO, CHEGADO e EMPREGADO. Na língua padrão, não se aceitam as formas trago, chego e empregue:

“Isso foi trago por mim”;

“Ele tinha chego atrasado”;

“O dinheiro foi muito bem empregue na construção deste campo”.

Só podemos usar:

“Isso foi TRAZIDO por mim”;

“Ele tinha CHEGADO atrasado”:

“O dinheiro foi muito bem EMPREGADO na construção deste campo”.

Fonte: Dicas de Português – Sérgio Nogueira

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA PORTUGUÊS

Comentários