PORTUGUÊS: Uma outra forma de “olhar” o Português

Essa semana eu resolvi dar um formato diferente às nossas conversas sobre português, essa nossa língua que, para uns, é complicada e, para outros, entendê-la é apenas questão de atenção e percepção. Assim, achei por bem pontuar exemplos que podem nos pregar peças em concursos. Então, vamos a eles!

Chapéu ainda tem acento? Com o Acordo ou Reforma ortográfica, muitos acentos nas palavras não existem mais. É o caso da palavra chapéu? Não! A palavra chapéu continua com acento, pois a Reforma Ortográfica fez mudar apenas os ditongos abertos “ei” e “oi” das palavras paroxítonas. Isso quer dizer que palavras como assembléiaheróico e idéia não têm mais acento, mas, ao contrário, palavras como chapéu, heróicéu e outras continuam acentuadas.

Uma questão bastante pertinente, e que faz concurseiros perderem noites de sono, diz respeito aos Advérbios e Pronomes Indefinidos. Por exemplo: em caso de dúvida quanto à classificação de uma palavra, prevalece o critério mecânico, ou seja, simplesmente o que diz as regras, ignorando o aspecto do significado?

Via de regra, Advérbio refere-se a um verbo, adjetivo ou a outro advérbio e não sofre flexões. Exemplo: Eu corri muito. (No caso, “muito” é o advérbio). O Pronome indefinido relaciona-se a um substantivo e sofre flexões. Exemplo: Eu corri muitos quilômetros (no caso, “muitos” é o pronome indefinido, referiu-se ao substantivo quilômetros e variou em número).

Outra questão interessante diz respeito a anexo, anexa ou em anexo. Exemplos: O documento segue em anexo, as fotos estão no anexo, a foto está anexa. Qual o jeito certo de usar? É bem simples. Anexo é um adjetivo, portanto, ele deve combinar com o nome ao qual se refere. Assim, das frases acima, apenas a número 3 está correta, do ponto de vista da língua padrão.

Assim, na frase número 1 é usada a expressão “em anexo” que, apesar de bastante usada, não é da índole portuguesa, já que é formada por uma preposição seguida de um adjetivo. Na frase número 2 o adjetivo anexo é usado como se fosse um substantivo. A frase número 3 está certa, pois anexa concorda com o substantivo foto.

Meio-dia e meio ou meio-dia e meia? Uma dúvida bastante comum é quanto ao uso do advérbio meio e do adjetivo meia. Como não confundir? É bem simples: meio = mais ou menos; meia =  metade. Então, é só substituir. Veja: Meio-dia e mais ou menos. Meio-dia e metade [da hora]. Assim fica claro que a forma certa é Meio-dia e meia, já que esse meia refere-se à metade de uma hora.

Bastante flores? Sua namorada NÃO vai gostar! Um caso típico de confusão é o uso dos termos bastante ou bastantes. Afinal, quando usar um ou outro? Para acabar com o problema, existe um macete muito simples: sempre que você puder substituir por muito quer dizer que ali vai um bastante, no singular. Assim, você terá bastantes chances de acertar a questão!

Alguns exemplos? É claro!

Meu irmão ganhou bastante dinheiro

(Meu irmão ganhou muito dinheiro.)

 Vou dar bastante flores para a minha namorada. Ela vai adorar!

Vou dar muito flores para a minha namorada. Ela vai adorar!

Opa! Muito flores é uma coisa bastante feia! Já sabemos o que fazer, certo?

Vou dar bastantes flores para a minha namorada. Ela vai adorar!

Certíssimo! Mais um:

Quero que meus leitores aprendam bastante sobre a língua portuguesa.

Quero que meus leitores aprendam muito sobre a língua portuguesa.

 Até a próxima semana com mais dicas e toques sobre a nossa língua portuguesa.

LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.