PORTUGUÊS: três casos de erro em concordância

Prezado leitor, nossa coluna dessa semana vai mostrar três casos de concordância que muita gente erra em português.

Concordância remete a acordo, harmonia. Gramaticalmente, refere-se ao processo linguístico em que ocorre a flexão de pessoa, gênero e número entre termos relacionados.

Repare a sentença abaixo:

“É necessário a tua presença aqui.”

Havendo a determinação do sujeito, a concordância deve ser efetuada. Portanto, a estrutura precisa ser adaptada ao padrão da Língua:

“É necessária a tua presença aqui.”

“É proibida a nomeação neste Gabinete.”

Sem essa citada determinação, prevalece o masculino singular:

“É proibido nomeação neste Gabinete.”

Anexo, incluso

Como adjetivos, concordam com o substantivo em gênero e número. Esses termos merecem atenção especial nos e-mails corporativos:

“Vão anexos os pareceres dos advogados.”

“Envio-lhe, anexas, duas cópias do contrato.”

“Envio-lhe, inclusa, uma cópia do contrato.”

Bastante pode sim variar

Outro caso curioso é a possibilidade de variação do termo “bastante”, quando for um adjetivo, sinônimo de “suficientes”:

“Não havia provas bastantes para condenar o réu.”

Sendo pronome indefinido, “bastantes” será sinônimo de “muitos”:

“Existem bastantes processos neste escritório.”

Boa leitura!

Fonte de pesquisa: professor Diogo Arrais.

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.