PORTUGUÊS: Tópicos mais cobrados em concursos públicos

Prezado leitor, estou voltando nesse assunto por causa da sua importância para os concurseiros em geral. Numa época em que os concursos parecem ser, de longe, a forma mais próxima de uma carreira longa e segura, com boas remunerações, vale a pena dar mais uma olhada nos tópicos mais cobrados em concursos públicos.

Em um país de constante crise, muitos são os profissionais que recorrem aos Concursos Públicos, com o argumento de que “nada é mais gratificante do que a estabilidade”.

Com vencimentos generosos de dez, doze, quinze mil reais por mês – somados às garantias trabalhistas, os concursos seduzem muita gente do mercado corporativo. Como empreender, preparar-se para um concurso – hoje em dia – exige uma estratégia profissional, já que muitos candidatos conseguem acertar acima de 85% da prova.

Diagnóstico sincero

Procure fazer um diagnóstico – com um profissional da área de Concursos – sobre a sua base de Leitura, Escrita, Compreensão Textual, Domínio da Língua Padrão. O processo seletivo é escrito em Língua Portuguesa.

Quais são os tópicos gramaticais a serem estudados?

  • Em Morfologia, seja bastante esforçado em Pronome, Verbo, Advérbio e Conectivos;
  • Em Sintaxe, aprenda de fato. Não fique apenas em processos mnemônicos, como “ficar perguntando a verbo”;
  • Pontuação é matéria de “todos os dias”: teoria e prática;
  • Concordância: enumere os casos principais entre os gramáticos;
  • Regência e Crase: diante de um bom manual regencial, a consulta deve ser diária a verbos (ou nomes) e suas consequentes transitividades.

Redação envolve o atual e o conhecimento jurídico

Os cargos mais lucrativos exigem Redação – o desenvolvimento de um texto dissertativo-argumentativo. Usando palavras muito sinceras (de quem vive este mercado há mais de dez anos): quem não escreve diariamente não desenvolve o hábito.

Comece aos poucos: um parágrafo por dia; uma síntese de uma coluna ou um podcast; um intertexto com algum estudo sociológico, filosófico. Tenha acesso a bons textos; acesso a textos que não apenas repassam o óbvio.

Depois, tente responder a um determinado problema jurídico, aplicando o conhecimento gramatical.

Concurso é empreender

Língua Portuguesa exige tempo e dedicação. Não existe domínio de nada, repentinamente.

Por mais clichê que pareça, a maioria dos concursandos desiste por falta de planejamento, dedicação e treino correto. É como no mundo do Empreendedorismo: há os querem, suam apenas no começo e não têm resultados; há os querem, suam por muito tempo, e – não tendo resultado – continuam até ter. A realização de um sonho só se dá a quem está com o corpo e com a alma.

Boa leitura e até a próxima semana.

Fonte: dicas do professor Diogo Arrais

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.