PORTUGUÊS: Seis erros comuns: fique ligado!

Prezado leitor, hoje veremos alguns erros muito comuns no dia a dia das pessoas e que derrubam qualquer concurseiro menos avisado. Aparentemente simples, esses erros aparecem a todo instante tanto na língua falada quanto na língua escrita.

Vamos a eles, então!

LIVRE ou LIVRES? RASO ou RASOS?

Vamos falar dos nomes de algumas modalidades esportivas que dão nó até na cabeça de comentaristas esportivos, habituados com essa nomenclatura.

Afinal, César Cielo nadou 50 metros LIVRE (no singular) ou 50 metros LIVRES (no plural)? Tudo indica que o certo é LIVRES, no plural, para concordar com os 50 metros, não é? Mas só parece. Na natação, LIVRE é o estilo, portanto é NADO LIVRE. Devemos dizer 50 metros LIVRE.

E no atletismo? O jamaicano Usain Bolt correu cem metros RASO (no singular) ou cem metros RASOS (no plural)? Está fácil? Se na piscina são “metros LIVRE”, na pista só pode ser “metros RASO”, certo? Pois está ERRADO!

No atletismo, RASOS são os metros, portanto “cem metros RASOS”. Isso significa “cem metros sem obstáculos”. Entendeu a diferença? LIVRE é o estilo e RASOS são os cem metros.

HAJA VISTA ou HAJA VISTO o problema?

A dúvida agora é o uso de uma expressão muito usada, que significa “tendo em vista, devido a, por causa de”: HAJA VISTA. Essa expressão tem uma forma verbal, HAJA, de HAVER (3º pessoa). Será que esse verbo deve concordar com o que vem depois? Devemos dizer “HAJA VISTA o problema” ou “HAJA VISTO o problema”? E no plural? Será “HAJAM VISTAS as dúvidas”? Acertou quem disse que essa expressão é invariável. Veja os exemplos: “Ele foi demitido HAJA VISTA o problema surgido”. “Ele foi dispensado HAJA VISTA os poucos pontos alcançados”.

“Ele foi reprovado HAJA VISTA as baixas notas tiradas. Portanto, não esqueça: com a expressão HAJA VISTA, nada de concordar no plural nem no masculino.

É sempre HAJA VISTA, assim como TENDO EM VISTA.

Os hotéis ficam JUNTO ou JUNTOS ao viaduto?

Mais uma vez nossa dúvida é a concordância. Ou a ausência dela. Vamos ver.

Se tivesse que informar a um forasteiro a localização de um hotel, como diria?

“Os hotéis ficam JUNTO ou ficam JUNTOS ao viaduto?” Nesse caso, JUNTO faz parte da locução prepositiva JUNTO A, que é invariável. Posso usar JUNTO com a preposição A ou com a preposição DE, tanto faz. Acompanhe os exemplos:

“As duas únicas bolas chutadas ao gol passaram JUNTO À trave. (ou JUNTO DA trave)”. “Os reservas estão JUNTO DA comissão técnica. (ou JUNTO À comissão técnica)”. “As casas ficam JUNTO DA farmácia. (ou JUNTO À farmácia)”.

MENAS calorias ou MENOS calorias?

Vamos comentar o uso de uma palavra que incomoda muita gente. Incomoda porque tem um jeitão de adjetivo, por isso os mais distraídos acabam se enganando. Afinal, se o refrigerante dietético tem MENOS açúcar, você diria que ele tem MENAS calorias ou MENOS calorias? Acertou quem apostou em MENOS calorias. MENOS é uma palavra invariável e não concorda com o termo próximo nem com nenhum outro. Veja os exemplos: “O jogo teve MENOS torcida do que o esperado.” “Esse bolo leva MENOS fermento na preparação.” “Hoje tenho MENOS razões para me entristecer.” Espero que agora você erre MENOS e nunca mais use o “MENAS”, porque não existe.

ASTERISCO ou ASTERÍSTICO?

Nossa dúvida de hoje é como se fala e se escreve o nome de um famoso sinalzinho (*): asterisco ou asterístico? Vamos começar perguntando: como você chama aquela pequena estrelinha que colocamos no texto, ao lado de alguma palavra, para explicá-la ou comentar logo depois (*)? Esqueça “asterístico”. Isso não existe.

O nome desse sinal gráfico é ASTERISCO. Essa palavra vem do grego e significa exatamente “pequeno astro” ou “estrelinha”. O sufixo “-isco” indica diminutivo, como em CHUVISCO, que significa uma pequena chuva, uma chuvinha.

Como o sinal (*) é uma “estrelinha, um pequeno astro”, devemos falar e escrever ASTERISCO. Lembre-se: se não falamos “chuvístico”, também não falamos “asterístico”.

Causou um REBOLIÇO ou um REBULIÇO?

O problema agora é uma palavrinha que gera muitas dúvidas. Quem nunca causou um REBOLIÇO (com O)? Ou será que foi um REBULIÇO (com U)? Qual é o correto?

Nessa frase, o correto é REBULIÇO (com U), que significa “confusão” ou “desordem”. Então REBOLIÇO (com O) não existe? O curioso é que existe. Embora pouco usado, o adjetivo REBOLIÇO se refere à pessoa que rebola muito. Como é adjetivo, concorda com o substantivo a que se refere: homem REBOLIÇO, mulher REBOLIÇA. Agora não precisa mais ficar REBOLIÇO (ou REBOLIÇA), com O, para tirar essa dúvida. Já sabe que atitudes inusitadas ou barulhentas causam REBULIÇO (com U). É bom lembrar a forma abreviada: o famoso REBU. Se a festa foi o maior REBU, é porque houve um grande REBULIÇO.

Fonte: Dicas de português do professor Sérgio Nogueira

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.