PORTUGUÊS: quatro maneiras de crescer profissionalmente usando a língua portuguesa

Prezado leitor, chegamos à 200ª coluna abordando um assunto que tem derrubado muito candidato em concursos públicos. Durante 200 semanas mostramos, relembramos, insistimos na importância do uso correto da língua portuguesa. Com artigos, exemplos, dicas e “toques”.

Nessa coluna de número 200 mostraremos quatro dicas de como trabalhar melhor a escrita e a comunicação.

Então, vamos a elas!

Dois amigos, muito parecidos, estudaram nas mesmas escolas, tiveram oportunidades idênticas, um mesmo estilo de vida. Certa feita, um deles resolveu aperfeiçoar-se mais quanto às palavras, ao conhecimento da Língua, à Comunicação. Resultado: um tornou-se grande líder; o outro, estacionou-se infeliz.

É fantástico como profissionais realizadores privilegiam a palavra falada, a palavra escrita, pois sabem que, do outro lado, há um alguém (de carne, osso, sentimentos) atento. É por meio da sentença proferida “construção” ou “destruição”. Frase educada apazígua; frase mal-educada encoleriza.

Se o objetivo é melhorar o mundo, biografias inspiradoras fizeram da palavra instrumento de educação, respeito e amor. Não é um simples desafio, ainda mais a quem não exercita a Escrita ou a Palestra.

Um Livro por Semana

Ainda dá tempo. Tente criar um cronograma de leituras. Durante o processo, aumente o vocabulário, pesquisando significados, sinônimos e antônimos.

Essas analogias tendem a trazer mais criatividade ao estudioso.

Estudar Gramática Normativa

Profissionais comunicam-se em acordo à Língua Padrão: não é falar ou escrever com preciosismo (utópica perfeição), mas encantar, com organização, o interlocutor.

Com o domínio da Pontuação, é natural que o escritor comece a desenvolver o pensamento acerca, por exemplo, de inversões, enfatizando possivelmente uma informação:

“Estive em vinte empresas nos últimos dez anos.”

“Nos últimos dez anos, estive em vinte empresas.”

Oralidade

Com o bom argumento sobre aproximação, muitos profissionais “escrevem como falam”. É preciso tomar cuidado com isso, pois esse hábito (somado ao distanciamento literário) pode empobrecer o texto, trazendo até mesmo determinados vícios de linguagem (tão improdutivos!).

Sensatez

Antes de tudo, é pensar em ser cauteloso, buscando levar harmonia por onde passar. Quem consegue levar solução a um ambiente profissional terá lugar de destaque.

Está na coerente postura comunicativa a resposta aos vários enigmas em uma carreira.

Boa leitura!

Fonte de pesquisa: Diogo Arrais, professor de Português

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.