Português para concursos: dicas que valem ouro

Olá, caros leitores, tudo bem com vocês? É amplamente reconhecida a importância da língua portuguesa em concursos públicos. Ela costuma responder por um percentual de 20% a 40% das questões em uma prova. Não importa qual seja a banca organizadora: FCC (fundação Carlos Chagas), CESPE, FGV, CESGRANRIO, ESAF.

Em qualquer uma delas, português para concursos é uma das disciplinas mais importantes cobradas no edital. Então, o que é mais cobrado em português para concursos banca por banca?

CESGRANRIO: banca muito focada em gramática, as questões de interpretação de textos costumam ser tranquilas. É importante prestar especial atenção aos itens: verbo, conjunção, pronome, sintaxe, regência, pontuação, usos do “que” e concordância verbal e nominal.

FCC: a maioria dos textos são dissertativo-argumentativos ou narrativos (crônicas), por isso é importante saber todas as características desses tipos/gêneros textuais. Cerca de 40% da prova trabalha interpretação, muitas vezes de nível pesado. Por isso recomendamos que faça as de gramática, primeiro, para não perder tempo lendo texto e refletindo/interpretando. Uma das coisas mais cobradas por essa banca em concursos públicos é reconhecimento de frases corretas e incorretas.

CESPE/UNB: a maioria das provas de língua portuguesa elaboradas por essa banca apresenta cerca de 50% de questões de gramática, portanto é muito importante dominar esse assunto. Muitos pensam que é necessário saber tudo de gramática, mas isso não é verdade. No entanto, é necessário dominar os tópicos gramaticais que aparecem frequentemente. Os assuntos mais recorrentes são estes: coesão referencial e sequencial, ortografia, acentuação gráfica, semântica, pronome, verbo, sintaxe, pontuação, concordância, regência e crase, reescritura e correção gramatical.

FGV: essa banca exige muito conhecimento interpretativo. Esqueça querer decorar cada regra gramatical. Aprenda sobre formação de palavras, conjunções e concordância e invista mais em interpretação de textos, sinonímia e antonímia, variação linguística, uso do léxico, estrangeirismo, sinais de intertextualidade, organização sintática, coesão e coerência, nova ortografia e classes de palavra.

Importante:

Faça muitos exercícios de interpretação de textos: normalmente as questões de interpretação consomem de 30% a 40% da prova de português para concursos. Claro que ler um bom referencial teórico ajuda, mas o mais importante são os exercícios.

Conheça as classes de palavras: sim, há algumas mais importantes do que outras, na verdade há classes que você não precisa gastar muito tempo estudando, mas é sempre bom saber algo como interjeição e numeral. O foco deve ser em substantivo, preposição, conjunção e verbo.

Domine conjunções: eu vou me arriscar um pouco e dizer categoricamente que conjunção é o assunto mais importante em português para concursos. Por quê? Conhecendo bem conjunções você responderá a questões sobre reescritura de frases, coesão e coerência, interpretação de textos e, claro, conjunções. Vai por mim. Decore as conjunções.

Conjugue verbos: igual à maneira que fazíamos na escola, conjugue os principais verbos e aqui vai uma pequena listinha deles: ser, ir, vir, ver, pôr, ter, caber, valer, adequar, haver, reaver, precaver-se, prover, viger, preterir, eleger, impugnar, trazer e os terminados em EAR, IAR e UAR.

Conheça os pronomes: classe de palavra importantíssima, conheça principalmente o pronome pessoal oblíquo átono (colocação pronominal), pronome demonstrativo e pronome relativo.

O uso dos “porquês”: também muito cobrado em prova, é fundamental saber que o “Por que” é equivalente a “por qual razão”, que se usa o “Porque” quando se quer imprimir sentido de finalidade, que se usa “Por quê” quando vier logo depois um sinal de pontuação e, por último, se usa o “Porquê” quando se quer substantivar.

Compre um dicionário de regência verbal: ninguém pode saber a transitividade de todos os verbos assim como ninguém consegue conhecer o significado de todas as palavras, por isso, aconselho que compre um bom dicionário de regência.

BÔNUS: tenha uma boa gramática de português para concursos. Não vou indicar autores, mas procure uma focada para concursos, visto que as utilizadas no ensino médio ou pré-vestibular não são ideais.

Espero que tenha ajudado de alguma forma. Não desejo boa sorte, mas que você faça, sim, uma excelente prova porque sei que você é capaz. Sucesso!

Até a próxima semana. Abraços!

LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.