PORTUGUÊS: os novos hábitos para melhorar seu português em 2020 – Parte I

Prezado leitor, estamos no terceiro mês do ano de 2020, em meio a uma tempestade de informações e acontecimentos que, certamente, modificarão ou introduzirão algo novo em nossos hábitos.

Por isso, aproveite que o ano mal começou para adquirir novos hábitos de estudo e apreciação da Língua Portuguesa. Confira as dicas:

Ano novo: palavra nova. É muito válida a visão sobre esse pensamento. De fato, muitos executivos e empresas buscarão no aperfeiçoamento da comunicação a estratégia para um 2020 mais produtivo.

Mesmo estando fora do Mercado de Trabalho, o profissional pode começar a redigir artigos, textos úteis (ou até mesmo a gravar vídeos): as mídias sociais são excelentes canais para praticar. Bom conteúdo e uma postura coerente trarão oportunidades valiosas e novos negócios.

Em relação à Língua, é caminhar para o enriquecimento do vocabulário. Para isso, a leitura de uma obra a cada semana gerará uma percepção bem mais aguçada de sentenças e sentidos. Dica: seja sempre muito curioso em relação à origem dos termos e faça sempre analogias.

Em termos práticos, aqui vai a dica dessa semana: Ano novo ou ano-novo? Está chegando a hora do “ano novo” e do “ano-novo”. Qual é mesmo a diferença? Ano-novo representa a “virada do ano”, a “meia-noite do dia 31 de dezembro”. Em contrapartida, “ano novo” corresponde aos doze iminentes novos meses.

À MEIA-NOITE? Com o uso do acento grave e hífen. Explico: a demarcação das horas femininas (iniciadas por A, AS) deve fazer uso do acento grave: às 14 horas, à 1 hora, à meia-noite. A expressão “meia noite”, sem o uso de hífen, representa “a metade de uma noite”. Com o uso de hífen, a expressão representa a “zero hora”.

À ZERO HORA – além do elegante e correto uso do acento grave, sua mensagem corporativa pode ficar muito mais produtiva: “À zero hora do dia 5, nossa rede interna será desativada.”

A TODOS – no período natalino, são muitas as pessoas que ainda cometem deslizes ortográficos: a desordem na mensagem pode ser ruim para a imagem do profissional. Pode ser. Em princípio, antes de pronomes indefinidos, não deve haver o uso do acento grave.

Fonte de pesquisa: professor Diogo Arrais/EXAME.

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.