PORTUGUÊS: Mais pegadinhas na Língua Portuguesa

Prezados leitores, a pedidos vamos continuar desfiando um rosário de pegadinhas que frequentemente derrubam os menos atentos, principalmente em concursos, onde a disputa é acirrada e só passa quem realmente estuda e presta atenção nos detalhes.

Vamos às pegadinhas dessa semana:

Confesso que me simpatizei com ela – o verbo simpatizar, como também seu antônimo antipatizar não são empregados com pronomes. Portanto, escreve-se correto, grafando-se assim: confesso que simpatizei com ela. Na sequência, outros exemplos de frases corretamente escritas: você simpatizou com a moça, mas ela antipatizou com você. Antipatizo com políticos em geral. Simpatizamos com a nova professora. Eles antipatizam conosco.

Residente à Rua Joana Sartóri – as palavras residente, morador, situado e sua forma reduzida sito não admitem a preposição a para ligar-se ao respectivo logradouro, mas, sim, a preposição locativa  em. Não se diz, por exemplo, que um imóvel está situado a Campinas, porém em Campinas. Veja os exemplos que seguem:  O escritório, sito na Rua Filisbina, recebe seus clientes de segunda a sexta-feira. O prédio está situado na Avenida Duque de Caxias. Márcio, morador na Travessa Cotia, prestou depoimento ontem. Resido na Alameda Tabajara. Então, a frase do topo escrita corretamente fica assim: residente na Rua Joana Sartóri.

Costuma se fazer bons negócios nesta feira – o verbo concorda com o seu sujeito, na voz passiva. Observe que temos dois verbos, um auxiliar e outro, principal. Veja outros exemplos de uso da voz passiva em situações semelhantes: Não se podem prever essas situações. (Não podem ser previstas essas situações.) Devem-se devolver os crachás ao final do evento. (Devem ser devolvidos os crachás ao final do evento.) A frase inicial estaria corretamente escrita da seguinte maneira: Costumam se fazer bons negócios nesta feira.

Não exceda da dosagem alcoólica permitida – o verbo exceder não admite preposição. Outros exemplos de grafia correta: O motorista foi multado porque excedeu os limites de peso de carga de seu caminhão. Lotação: 42 passageiros. Não exceda este limite. O certo seria escrever a frase original do seguinte modo: Não exceda a dosagem alcoólica permitida.

O comandante nos disse que ficássemos alertas – aqui está uma dica de português para vestibular e concurso, a qual tem gerado muita controvérsia. A palavra alerta pertence à classe dos advérbios e, como tais, é invariável. Não se flexiona para indicar gênero (Ele está  alerta.), como também para indicar número (Permaneço  alerta. Permanecemos  alerta. Eles permanecem  alerta.). Só se admite variação, quando substantivada, isto é, quando a palavra estiver acompanhada de artigo (Esqueci os alertas do comandante.). Então, depois da correção, a frase inicial fica assim: O comandante nos disse que ficássemos alerta.

A polícia não pode prendê-lo porque ele é de menor – eis uma seção de dicas de português cuja sutileza muita gente boa não percebe. O predicativo dessa frase liga-se ao sujeito com auxílio de verbo de ligação sem preposição. O povo é que construiu essa anomalia. Veja outros exemplos de predicativo: Ele é sargento do exército. Ela é maior de 14 anos. Ela é a rainha do colégio. Ele é menor de 6 anos. Meu pai é professor. Então, depois da correção a frase inicial fica assim: A polícia não pode prendê-lo porque ele é menor de idade.

Na próxima semana traremos outras importantes dicas. Boa leitura e bom aprendizado.

Até lá!

Fonte de pesquisa: Portal Tudo Sobre Concursos.

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.