PORTUGUÊS: Expressões redundantes

Caro leitor, a língua portuguesa, por suas nuances e características próprias, é fascinante. Quantas vezes nos pegamos perguntando se deveria escrever assim ou assado? Ou, então, porque o autor preferiu usar determinada expressão e não outra? Ou, ainda, de onde veio determinada palavra ou expressão? Com as expressões redundantes acontece exatamente assim.

Ocorre redundância quando, numa frase, repete-se uma ideia já contida num termo anteriormente expresso. Assim, as construções redundantes são aquelas que trazem informações desnecessárias, que nada acrescentam à compreensão das mensagens. No dia a dia, muitas pessoas utilizam tais expressões sem perceber que, na verdade, são inadequadas. Veja a seguir frases com expressões redundantes frequentemente utilizadas:

“Eu e minha irmã repartimos o chocolate em METADES IGUAIS“. Ora, ao dividir algo pela metade, as duas partes só podem ser “iguais”!

“O casal ENCAROU DE FRENTE todas as acusações”. Seria possível que eles encarassem “de trás”?

“Adoro tomar CANJA DE GALINHA“; Se é canja que você toma, só pode ser “de galinha”!

“O estado EXPORTOU PARA FORA menos calçados este ano”. E como ele poderia fazer para exportar para “dentro”?

“Quando AMANHECEU O DIA, o sol brilhava forte”. Você já viu amanhecer a “noite”?

“Tiradentes teve sua CABEÇA DECAPITADA“. Alguém já viu um “pé” ser decapitado? Decapitação só existe da cabeça mesmo!

“A criança sofreu uma HEMORRAGIA DE SANGUE e foi parar no hospital”. Todas as hemorragias são “de sangue”!

“HÁ muito tempo ATRÁS fui a Portugal”. A forma verbal há já indica que o tempo é no passado.

“Ela é LOUCA DA CABEÇA!” Você já viu algum louco do “pé”?

“O rapaz se INFILTROU DENTRO da festa sem ser convidado”. O verbo infiltrar já indica “para dentro”.

“Pessoal, não vamos ADIAR PARA DEPOIS esta reunião!” O verbo adiar já indica que é “para depois”.

“Será que tenho OUTRA ALTERNATIVA?” A palavra alternativa significa “outra opção”. A forma correta seria: “Será que tenho alternativa?”

“Eu e meu marido CONVIVEMOS JUNTOS durante dois anos”. O verbo conviver já expressa a ideia de “viver com”, “junto”.

“A professora ACRESCENTOU MAIS UMA ideia ao projeto”. Será que ela poderia acrescentar “menos” uma ideia?

Então, gostou dos exemplos acima? Você já se pegou ouvindo ou falando alguma coisa parecida?

Boa leitura e até a próxima semana!

Fonte: site Só Português.

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.