PORTUGUÊS: E tome mais pegadinhas

Conforme dito na semana passada, prezados leitores, eis mais uma leva de dicas e pegadinhas sobre a língua portuguesa. Lembrando que, na hora do concurso ou da prova, o importante é estar com os conhecimentos em dia. Portanto, estude sempre.

Vamos a mais uma série de dicas:

O chefe reclamou porque a secretária não tinha entregue o relatório – nesta pegadinha, é preciso considerar que existem duas línguas faladas no País — a culta e a popular. Esta é falada sem nenhuma preocupação com o idioma, enquanto aquela, cujo conhecimento é exigido em provas de vestibular e concurso, subordina-se às normas da língua portuguesa falada no Brasil.

O verbo entregar possui dois particípios — entregue e entregado. Com os verbos ter e haver usa-se entregado. Por outro lado, a forma entregue é usada com os verbos ser e estar.Exemplos: a moça não havia entregado o bilhete.João já tinha entregado as passagens.Uma lista nova é entregue todas as manhãs.Não se preocupe, a encomenda foi entregue.A mercadoria está entregue.A frase acima, depois de corrigida, fica assim:O chefe reclamou porque a secretária não tinha entregado o relatório.

Ele se acorda às seis horas todos os dias – nesta frase o pronome  “se” está tornando a frase incoerente, isto é, o emprego desse pronome é inadequado. Em provas de vestibular e concurso público, esse tipo de ocorrência provoca a chamada incoerência textual ou linguagem inconsequente.Ninguém acorda a si mesmo! Cada indivíduo, simplesmente,  acorda ou, então, é acordado por alguém, algum som alto, um terremoto etc. Agora, decididamente, acordar a si mesmo é proeza que escapa à habilidade humana.  A frase equivocada, depois de corrigida, fica assim: Ele acorda às seis horas todos os dias. 

O governo vai criar novos impostos – a expressão  “criar novos” é da mesma família de  subir pra cima, descer pra baixo, chutar com os pés etc. Já que não éviável criar nada velho, escreva-se, pois, apenas criar, e pronto!  A frase inicial, depois de corrigida, fica assim: O governo vai criar impostos. 

Não me importo que o Palmeiras perca – faz-se três construções com o verbo importar-se, sempre pronominal no sentido de ter importância ou interesse:1 -quando o sujeito for uma oração introduzida pela conjunção integrante que, overbo importar deve estar no subjuntivo (exclusivamente para casos como o dapresente dica).Exemplos:Não me importa que você discorde. Não me importa que o partidoperca.2 – quando o sujeito não for uma oração, usa-se somente importa, sem a
conjunção que: Não me importa a derrota da Argentina.3 – se ao verbo seguir a preposição com, emprega-se importo, forma do presente do indicativo.

Exemplos:Não me importo com tuas lamúrias.Não me importo com frescuras.Outros exemplos em outros tempos verbais: Não me importará que ele vença a competição.Não me importaria que Márcia dissesse a verdade. Naquela época, não me importava que a economia fosse mal. Não me importaram os elogios baratos. Não me importou a vitória inglesa.Não me importarei com divertimentos banais.Não me importava com coisa alguma.Depois da correção, a frase fica assim: Não me importa que o Palmeiras perca. 

A palestra agradou os congressistas – esta é uma questão de transitividade verbal. O verbo agradar, usado como transitivo direto, significa fazer carinho,mimar, enfim fazer as vontades.Exemplos:A mãe agrada o filho recém-nascido, afim de que ele pare de chorar.A namorada agrada o rapaz, com elogios e atenções desmedidos.

Conforme exposto acima, palestra nenhuma poderá agradar os congressistas ou quem quer que seja.Uma boa palestra, mas só se for boa mesmo, poderá agradar aos congressistas (note a preposição  a); pois o verbo  agradar, usado como transitivo indireto, significa corresponder à expectativa, satisfazer, produzir agrado. Veja outros exemplos de frases com o verbo agradar, empregado como transitivo indireto. Exemplos: O filme agradou aos estudantes.A prova agradou aos candidatos. O resultado não agradou a mim. A frase inicial, depois da correção, se apresenta assim: A palestra agradou aos congressistas. 

Aguarde a próxima semana.Outras dicas ou pegadinhas na língua portuguesa chegarão. Estude sempre e com afinco. A regularidade dos estudos certamente trará bons frutos. Boa leitura e bom aprendizado.

Até lá!

Fonte de pesquisa: Portal Tudo Sobre Concursos.

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.