PORTUGUÊS: Dicas, dicas e mais dicas: fique ligado!

Prezado leitor, você já deve ter notado que eu gosto muito de dicas. Elas são fundamentais para enriquecer nosso conhecimento. E, principalmente, para permitir que saiamos na frente em termos de provas e concursos.

Então, fazendo jus a essa minha preferência, aí vão mais algumas importantes dicas sobre a língua portuguesa.

MULTIUSO ou MULTIÚSO?

Você já deve ter reparado que, hoje em dia, é tudo “multiúso”:

“detergente multiúso, escova multiúso, roupa multiúso…”, tudo em nome da praticidade para facilitar o dia a dia. Mas como se escreve essa palavrinha: MULTIUSO (sem acento) ou MULTIÚSO (com acento agudo no U)?

A maioria das embalagens traz a palavra sem acento. Há quem atribua a ausência do acento à formação da palavra: prefixo MULTI + palavra USO. Realmente, o argumento está correto, mas a conclusão é incorreta. A junção do prefixo MULTI com o substantivo USO deu origem a uma nova palavra, e esta deve seguir as normas ortográficas. Nesse caso, as normas são claras: devem-se acentuar o I e o U que fizerem hiato com a vogal anterior, ou seja, que não ficarem na mesma sílaba que essa vogal. É o caso de RE-Ú-NE, SA-Ú-DE, SU-Í-ÇA, etc.

Essa regra praticamente não foi alterada com o novo acordo ortográfico.

Só perderam o acento agudo aquelas palavras em que as vogais “i” ou “u” formam hiato com um ditongo decrescente na vogal anterior: fei-u-ra, bai-u-ca, Bo-cai-u-va, Sau-i-pe… Nos demais casos, ainda devemos usar o acento agudo em palavras como: saída, eu saí, país, raízes, prejuízo, Icaraí, baú, Grajaú. Por essa razão é que MUL-TI-Ú-SO deve receber o acento no U.

Obedeça O sinal ou Obedeça AO sinal?

Você já deve ter reparado, nas ruas e rodovias brasileiras, aquela placa onde se lê: “OBEDEÇA O SINAL”. Será por isso que ninguém obedece? O certo é: “OBEDEÇA AO SINAL”. Todos nós aprendemos que o verbo OBEDECER é transitivo indireto, ou seja, ele exige a preposição A.

E o que dizer então de “OBEDEÇA A SINALIZAÇÃO”? É lógico que falta aí o acento indicador da crase: “OBEDEÇA À SINALIZAÇÃO”. A crase, não custa lembrar, é a união da preposição A com outro A, geralmente o artigo definido feminino A. Prevenir acidentes é dever de todos. “Obedeça À sinalização”, “Obedeça AOS sinais”, são as formas corretas, e não dê bola para a regência verbal mal usada nas placas de trânsito.

Criança MAL-EDUCADA, MAU-EDUCADA ou MÁ-EDUCADA?

Quem é mãe ou pai de primeira viagem, logo se depara com a dúvida. Essa criança é MAL-EDUCADA ou MÁ-EDUCADA? A dúvida faz sentido. Afinal, CRIANÇA é palavra feminina, portanto o adjetivo deve concordar com ela, MÁ, certo?

Errado. Nesse caso, o único adjetivo da frase é EDUCADA, que está no feminino para concordar com CRIANÇA. Mas qual a resposta, então? O correto é CRIANÇA MAL-EDUCADA. MAL é um advérbio, ou seja, palavra INVARIÁVEL que modifica adjetivos, verbos e até outro advérbio. Observe como ela não se modifica: Crianças MAL-EDUCADAS, Menino MAL-EDUCADO, Meninos MAL-EDUCADOS. Mas por que o hífen?

Devemos usar hífen para separar MAL da palavra seguinte que começar por H ou vogal, como em MAL-ESTAR, MAL-HUMORADO, MAL-ACABADO. Se a palavra seguinte começar por uma consoante diferente de H, devemos escrever tudo junto. Por exemplo: Criança MALCRIADA. Serviço MALFEITO. Rodovia MALCONSERVADA. Noites MALDORMIDAS.

TENÇÃO ou TENSÃO?

Essa é uma dúvida que pega muita gente. Essa palavra se escreve com Ç (TENÇÃO) ou com S (TENSÃO)? A verdade é que as duas formas existem, mas cada uma tem um significado. A forma TENÇÃO (com Ç) é o mesmo que INTENÇÃO, ou seja, refere-se àquilo que se pretende fazer: “Eu não tive a TENÇÃO de ofendê-lo.” A forma com S, TENSÃO, se refere à qualidade do que está TENSO, do que está em vias de um rompimento: “O varal está com muita TENSÃO, vai acabar arrebentando”; “A TENSÃO na Faixa de Gaza preocupa os países vizinhos”.

Em eletricidade, TENSÃO é usada para se referir à voltagem de uma instalação ou de um aparelho: “A TENSÃO do equipamento é de 220 volts.” Portanto, não erre mais. Confira o significado do que pretende dizer. Para se referir ao propósito, à INTENÇÃO de algo, é com Ç. Se a intenção é dizer que algo está TENSO, então use TENSÃO, com S.

APRESSAR OU APREÇAR?

Você conhece a palavra APRESSAR com “dois esses”? E APREÇAR com “cê-cedilha”? Qual delas está certa? Aposto que muitos diriam: “Eu sei! O certo é com dois SS, porque é derivado de PRESSA.” É verdade. Acertou mesmo, mas só a metade. Acertou somente a metade da pergunta. Realmente, APRESSAR, com dois SS, realmente deriva de PRESSA, e por isso se escreve assim. Mas não significa que o outro verbo não exista. APREÇAR (com Ç) é um verbo que muita gente erra, pensando que deveria escrever com dois SS. APREÇAR (com Ç) significa perguntar ou avaliar o PREÇO de alguma coisa. Está vendo? Por causa de afobação, muita gente se APRESSA (com SS) e não APREÇA (com Ç) corretamente o produto que está à venda.

GASOLINA ADTIVADA OU ADITIVADA?

Você tem carro? Se tem, certamente já foi abastecê-lo no posto de combustível. Chegando lá, o que pediu? Gasolina ADTIVADA (com o chamado “D mudo”) ou ADITIVADA (com D-I)? Antes de mais nada, vamos tentar lembrar o que significa esse adjetivo. Esse tipo de gasolina difere da comum por alguns componentes que, garantem as distribuidoras, melhoram o desempenho do carro com mais economia. Esses componentes são ACRESCENTADOS, são ADICIONADOS à gasolina comum.

Por acaso você diria que esses componentes foram “adcionados” à gasolina? Claro que não. Você diria que eles são aDIcionados. E como se chamam esses componentes? Muito bem: ADITIVOS. É por causa deles, dos A-DI-TI-VOS, que a gasolina se chama A-DI-TI-VADA. “Adtivada”, com D mudo, não existe.

Devemos tomar cuidado com palavras em que a vogal “i” está presente: adição = aditivo, aditivado; divino = adivinhar, adivinhação. E existem palavras com a chamada “consoante muda” (sem a vogal a seguir): adjetivo, apto, adaptar, advogado, pneu…

No calor, a gente SUA ou a gente SOA?

Suar ou soar, eis uma questão! SUAR é um daqueles verbos que deixam muita gente no sufoco. Na hora de conjugar, a pessoa fica vermelha, começa a transpirar…Afinal, como se conjuga? SUAR é um verbo regular. Conjuga-se da mesma forma que aqueles terminados em “-uar”, como “jejuar”, “atenuar”, “atuar”, “pontuar”, “compactuar”, “flutuar” etc. Eu jejuo, tu jejuas, ele JEJUA. Eu atenuo, tu atenuas, ele ATENUA. Portanto, como não podia deixar de ser, o correto é dizer que, no calor, a gente SUA. Eu suo, tu suas, ele SUA.

Então “a gente soa” não existe? Bem, existir, existe, porém o sentido é bem diferente. Ao dizer “a gente SOA”, estamos dizendo que nós produzimos som, pois SOAR significa exatamente isso: produzir som. Combinados? Quem produz suor SUA; o que produz som SOA.

MAISENA ou MAIZENA?

Você já deve ter visto no supermercado, ou até comprado, para fazer seu mingau, seu pudim ou bolo, aquela caixinha amarela de farináceo, com o rótulo escrito MAIZENA, com “z”. Mas será que o rótulo está correto? Essa palavra provém do grão com que é fabricado: o milho, também chamado, em algumas regiões do Brasil, de “maís” (com “s” e acento no “i”).

Mas o produto vendido nos supermercados existe há muito tempo, e por isso sua marca usa a ortografia da época em que foi criado. Respeita-se o que está no rótulo, pois se trata de uma marca registrada, mas, para se referir genericamente àquela farinha, deveríamos escrever MAISENA com S.

Como já foi explicado aqui, é prática comum no Brasil o desrespeito às regras ortográficas quando grafamos nomes próprios. Outro exemplo é a marca da farinha “Granfino”. É importante saber, entretanto, que o adjetivo referente à pessoa muito fina é GRÃ-FINO: “Trata-se de uma pessoa grã-fina”.

Fonte: Dicas de português do professor Sérgio Nogueira.

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.