PORTUGUÊS: Continuação da revisão de dicas, curiosidades e conceitos

Prezado leitor, tudo bem com você? Conforme dito e iniciado na coluna da semana que passou, faremos uma completa revisão de assuntos já abordados pela coluna, mas de vital importância para que você fique melhor preparado.

Sendo assim, vamos a elas!

Descriminar ou discriminar?

Assim são as palavras parônimas: semelhantes, na escrita e na pronúncia, mas distintas em seus significados. “Descriminar” e “discriminar” são exemplos dessa relação. Enquanto “descriminar”, escrito com “e”, é sinônimo de “descriminalizar”, “discriminar” é sinônimo de “distinguir”, “classificar por algum critério” – e discriminações, com “i”, de características pessoais, por exemplo, são crimes.

Se a diferença for difícil de ser aprendida lembrando-se apenas de que o prefixo latino DES – remete à oposição (portanto, “descriminar” é o oposto de “criminar”, de “imputar culpa a”), relacione as primeiras sílabas dos sinônimos dessas duas palavras:

DES – DEScriminar = DEScriminalizar = DESculpar

DIS – DIScriminar = DIStinguir = DIScernir

Se mesmo assim a dúvida quanto ao uso de uma ou de outra palavra persistir e não houver como consultar um dicionário manual ou online, troque-as por outra, diferente, cujo sentido seja parecido. Na maioria das vezes temos essa opção.

“A fim”: junto ou separado? Surgiu a dúvida? Não sabe se é uma palavra só ou se são duas? Há várias postagens sobre como grafar corretamente certas expressões – e certas palavras confundidas com expressões. A primeira dúvida a ser extinta: “a fim” é escrito junto ou separado?

Para os sentidos que usamos mais, “a fim” se escreve separadamente:

1 – Finalidade: pode ser substituído por “para” e “com o fim de”.

Estamos economizando dinheiro, a fim de viajarmos no final do ano.

Os cortes foram feitos a fim de evitarmos uma crise ainda maior.

Eu estudei a fim de tirar a nota máxima, mas isso não aconteceu.

Repare: na verdade, “a fim”, separado, faz parte de uma locução prepositivaa fim de.

2 – Demonstração de interesse: coloquialmente, usamos “a fim de” no sentido de “estar com vontade de”, “desejar”, “querer”. E sempre precedido do verbo “estar”.

 Eu estou a fim de ir ao cinema, mas se quiser, podemos ficar em casa.

Não estou a fim de viajar com pessoas que não conheço.

Pela sua expressão, você não está a fim de ir para a festa.

“Afim” também existe. Mas quase nunca usamos, porque faz parte de uma linguagem bastante formal. É um adjetivo! Sabia? Um adjetivo como “pequeno”, “bonito”, “estranho”. “Afim” é sinônimo de “semelhante”, “igual”, “parecido”.

Eu e meu irmão nos damos bem, pois nossas ideias são bastante afins. Ou seja, “ideias parecidas”.

Aqui na empresa, a minha função e a sua são afins, portanto, posso ajudá-lo em qualquer dúvida. Ou seja, “minha função e a sua são semelhantes”.

Talvez fique mais fácil se você pensar assim: “a fim”, separado, é usado quando se tem “de” depois. Então, sempre teremos três elementos: a + fim + de. E posso apostar que “afim”, junto, será muito mais difícil de você e eu usarmos.

Fonte: Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Educação Continuada – CPDEC

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.