PORTUGUÊS: Concordância Nominal: cuidado com ela

Olá, caros leitores, tudo bem com vocês? Gostaram da coluna da semana passada? Como já falamos aqui, o Português é a quinta língua nativa mais falada no mundo e a terceira mais falada no mundo ocidental. Ela também é a principal disciplina cobrada em concursos públicos, sendo considerada a base para o aprendizado de todas as outras.

Pensando nisso, trouxemos para o conhecimento de vocês um assunto muito debatido e, consequentemente, bastante cobrado em provas e concursos: a concordância nominal.

Regra geral: O artigo, o numeral, o adjetivo e o pronome adjetivo concordam com o substantivo a que se referem em gênero e número. Ex.: Dois pequenos goles de vinho e um calçado certo deixam qualquer mulher irresistivelmente alta.

Concordâncias especiais: Ocorrem quando algumas palavras variam sua classe gramatical, ora se comportando como um adjetivo (variável), ora como um advérbio (invariável).

Mais de um vocábulo determinado

Pode ser feita a concordância gramatical ou a atrativa. Exemplos:

Comprei um sapato e um vestido pretos (gramatical – o adjetivo concorda com os dois substantivos).

Comprei um sapato e um vestido preto. (atrativa, apesar de o adjetivo se referir aos dois substantivos, ele concordará apenas com o núcleo mais próximo)

Um só vocábulo determinado

Um substantivo acompanhado (determinado) por mais de um adjetivo: os adjetivos concordam com o substantivo. Ex.: Seus lábios eram doces e macios.

Bastante – bastantes: Quando adjetivo, será variável, e quando advérbio, será invariável. Exemplos: Há bastantes motivos para sua ausência (bastantes será adjetivo de motivos).

Os alunos falam bastante (bastante será advérbio de intensidade, referindo-se ao verbo).

Anexo, incluso, obrigado, mesmo, próprio: São adjetivos que devem concordar com o substantivo a que se referem. Exemplos: A fotografia vai anexa ao curriculum. Os documentos irão anexos ao relatório.

Dicas:
Quando precedido da preposição em, fica invariável.
Ex.: A fotografia vai em anexo. Envio-lhes, inclusas, as certidões. Incluso segue o documento.

A professora disse: muito obrigada. O professor disse: muito obrigado. Ele mesmo fará o trabalho./ Ela mesma fará o trabalho.

Dicas:
“Mesmo” pode ser advérbio quando significa realmente, de fato. Será, portanto, invariável.
Exemplos: Maria viajará mesmo para os EUA. Ele próprio fará o pedido ao diretor. Ela própria fará o pedido ao diretor.

Muito, pouco, caro, barato, longe, meio, sério, alto: São palavras que variam seu comportamento, funcionando ora como advérbios (sendo assim invariáveis), ora como adjetivos (variáveis). Exemplos: Os homens eram altos. Os homens falavam alto.
Poucas
 pessoas acreditavam nele. Eu ganho pouco pelo meu trabalho. Os sapatos custam caro. Os sapatos estão caros. A água é barata. A água custa barato.
Viajaram por longes terras. Eles vivem longe. Eles são homens sérios. Eles falavam sério. Muitos homens morreram na guerra. João fala muito. Ele não usa meias palavras. Estou meio gorda.

É bom, é necessário, é proibido: Só variam se o sujeito vier precedido de artigo ou outro determinante. Exemplos: É proibido entrada de estranhos. É proibida a entrada de estranhos. É necessário chegar cedo. É necessária sua chegada.

Menos, alerta, pseudo: São sempre invariáveis. Exemplos: Havia menos professores na reunião. Havia menos professoras na reunião. O aluno ficou alerta. Os alunos ficaram alerta. Era um pseudomédico. Era uma pseudomédica.

Só, sós: Quando adjetivos, serão variáveis, quando advérbios, serão invariáveis.
Exemplos: A criança ficou . As crianças ficaram sós (adjetivo). Depois da briga, só restaram copos e garrafas quebrados (advérbio).

Dicas:
A locução adverbial “a sós” é invariável.
Ex.: Preciso falar a sós com ele.

Concordância dos particípios: Os particípios concordarão com o substantivo a que se referirem. Exemplos: Os livros foram comprados a prazo. As mercadorias foram compradas a prazo.

Dicas:
Se o particípio pertencer a um tempo composto, será invariável.
Exemplos: O juiz tinha iniciado o jogo de vôlei. A juíza tinha iniciado o jogo de vôlei.

Até semana que vem. Abraços!

Fonte: Tudo sobre Concursos

LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.