PORTUGUÊS: Aprenda Português de forma bem humorada

Olá, tudo bem? Muitos acham que a nossa língua é sisuda, carrancuda mesmo! Transitivo direto, verbos de ligação, voz passiva, complemento verbal,…onde estamos, minha gente? Será que preciso virar um nerd para assimilar tudo isso?

Pois é! Ao longo dos anos nossos professores colocaram uma aura de mistério e terror em torno da língua portuguesa, como se ela fosse um prato para poucos degustarem.

Ledo engano, meus caros leitores. Hoje vamos aprender um pouco mais de português, mas de forma bem humorada, com essas dicas de escrita que vão direto ao ponto. Curta aí!

Quê?! Interjeições excessivas? Nossa! Evite-as!!!!

Não abuse de metáforas futebolísticas. Esse tipo de tabelinha com a linguagem do futebol nem sempre satisfaz a galera. O leitor pode se sentir driblado e dar cartão vermelho para o escritor, mandando-o antes do tempo para o chuveiro.

Falhas na concordância denuncia falta de conhecimento gramatical. Evite-a.

Não misture as pessoas gramaticais. Tu podes fazer isso quando usares a linguagem coloquial, mas nunca em sua redação para vestibular ou concurso. Nela escrevemos com alguma formalidade e você tem que seguir a norma culta.

Das inversões fuja. Comprometem elas das ideias a clareza.

Evite repetições, pois elas dão a impressão de que o texto não progride. Repetir gera no leitor a sensação de que as ideias ficam no mesmo lugar, não evoluem. Quem repete permanece no mesmo círculo de ideias e faz o texto circular em torno de um mesmo tema, sem sair do canto.

Tenha cuidado ao usar as reticências, pois elas… lacunas no pensamento e… sem saber direito o que o autor quer dizer.

As longas intercalações entre sujeito e predicado, por fazerem o leitor esquecer o que foi dito no início, levando-o a suspender a leitura e ter de reler toda a frase, o que termina prejudicando a compreensão do texto como um todo, devem ser evitadas.

Evite exageros. A hipérbole é o pior entre os piores pecados que podem acometer um escritor em todos os tempos.

Há que escoimar o texto de vocábulos preciosos ou pernósticos. O uso de tais palavras é próprio dos alarves e apedeutas. Indica, outrossim, uma mente deslumbrada com as reverberações de um saber despiciendo, que leva a conclusões inanes sobre os transcendentais enigmas do Homo Sapiens.

Prefira a linguagem denotativa; ela é um lago transparente de onde emerge com clareza o sentido das palavras.

Evite em seu texto manifestar preconceito contra as mulheres. Do contrário, elas vão reclamar de você o tempo todo sem lhe dar chance de se defender. Mulher – todo o mundo sabe – não tem paciência para compreender as razões do outro e termina transformando o que deveria ser um diálogo esclarecedor num monólogo interminável – em que, obviamente, só ela fala.

Gostaram? Até semana que vem. Abraços!

Fonte: Blog Lendo.org / professor André Gazola

LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.