PORTUGUÊS: 48 dicas e pegadinhas – Parte IV

Prezados leitores, tudo bem com vocês? Com essa coluna, encerramos a publicação das 48 pegadinhas e dicas em português. Espero que tenham gostado das postagens e, mas ainda, que tenham estudado o assunto. Como já foi dito, o português serve como diferencial no desempate em concursos públicos.

Quando resolvemos escrever ou postar assuntos referentes à nossa língua pátria, nossa intenção era mostrar sua importância para o dia a dia das pessoas, como o português se insere em nossas vidas e como ele é fundamental para todos aqueles que pensam em participar de concursos públicos.

Os conhecimentos sobre a língua portuguesa não se encerram na participação em concursos públicos ou em provas importantes. Ela participa, de forma intensa, na vida de cada uma das pessoas que utilizam o português como ferramenta de trabalho.

Como nossa intenção é trazer conhecimentos sobre o português de forma intensa e diferenciada, a coluna continuará seguindo seu caminho desbravador. Então, vamos às treze últimas dicas e pegadinhas dessa etapa.

  1. Existe ou existem?

O verbo existir admite plural, diferentemente do verbo haver, que é impessoal. Exemplo: Existem muitos problemas nesta empresa, ou existe apenas um problema nesta empresa.

  1. Tão pouco ou tampouco?

Tão pouco corresponde a “muito pouco”. Exemplo: Trabalhamos muito e ganhamos tão pouco.

Tampouco corresponde a “também não”, “nem sequer”. Exemplo: Não compareceu ao trabalho, tampouco justificou sua ausência.

  1. A nível de ou em nível de?

A expressão “em nível de” deve ser usada quando se refere a “âmbito”. Exemplo: A pesquisa será realizada em nível de direção.

Já o uso de “a nível de” significa “à mesma altura”. Exemplo: Estávamos ao nível do mar.

  1. Chego ou chegado?

Chego é 1ª pessoa do Presente do Indicativo. Exemplo: Eu sempre chego cedo.

Embora alguns verbos tenham dupla forma de particípio, como imprimido/impresso, frito/fritado e acendido/aceso, o único particípio do verbo chegar é chegado.

  1. Meio ou meia?

No sentido de “um pouco”, a palavra “meio” é invariável. Exemplo: Ela estava meio nervosa na reunião.

Como numeral, meio deve concordar com o substantivo. Exemplo: Ele comeu meia maçã, ou, ele comeu meio abacate.

  1. Mas ou mais?

Mas é conjunção adversativa e significa “porém”. Exemplo: Gostaria de ter viajado, mas tive um imprevisto.

Mais é advérbio de intensidade. Exemplo: Adicione mais açúcar se quiser.

  1. Descriminar ou discriminar?

Descriminar significa absolver, inocentar. Exemplo: O juiz descriminou o jovem acusado.

Discriminar significa separar, diferenciar. Exemplo: Os produtos estão discriminados na nota fiscal.

  1. Faz ou fazem?

No sentido de tempo decorrido, o verbo “fazer” é impessoal, ou seja, só é usado no singular. Exemplo: Faz dois meses que trabalho nesta empresa.

Em outros sentidos, faz deve concordar com o sujeito. Exemplo: Eles fazem um bom trabalho.

Crase

  1. Palavras femininas

A crase deve ser empregada apenas diante de palavras femininas. Essa é a regra básica para quem quer aprender mais sobre seu uso.
Caso você fique em dúvida sobre quando utilizar o acento grave, substitua a palavra feminina por uma masculina: se o “a” virar “ao”, a palavra receberá o acento grave.

Exemplo:

  • As amigas foram à confraternização de final de ano da empresa.

Agora substitua a palavra “confraternização” pela palavra “encontro”.

  • As amigas foram ao encontro de final de ano da empresa.
  1. Indicação de hora

Lembre-se de utilizar a crase em expressões que indiquem hora.

Exemplos:

  • Às três horas começaremos a estudar.
  • A partida de futebol terá início às 17h.
  • Ele esteve aqui às 8h, mas foi embora porque não te encontrou.

Porém, quando as horas estiverem antecedidas das preposições “para”, “desde” e “até”, o artigo não receberá o acento indicador de crase.

Exemplos:

  • Ele decidiu ir embora, pois estava esperando desde as 10h.
  • Marcaram o encontro no restaurante para as 20h.
  • Fique tranquilo, eu estarei no trabalho até as 9h.
  1. Tempo, lugar e modo

Utilize a crase antes de locuções adverbiais femininas que expressam ideia de tempo, lugar e modo.

Exemplos:

  • Às vezes chegamos mais cedo à escola.
  • Ele terminou a prova às pressas, pois já passava do horário.
  1. Palavras masculinas

A crase, na maioria das vezes, não ocorre antes de palavra masculina. Isso acontece porque antes de palavra masculina não ocorre o artigo “a”, indicador do gênero feminino.

Exemplos:

  • O pagamento das dívidas foi feito a prazo.
  • Os primos foram para a fazenda andar a cavalo.
  • Tempere com pimenta e sal a gosto.
  • Eles viajaram a bordo de uma aeronave moderna.
  • Marcos foi a pé para o escritório.

Exceção:

  • Existe um caso em que o acento indicador de crase pode surgir antes de uma palavra masculina. Isso acontecerá quando a expressão “à moda de” estiver implícita na frase.

Exemplos:

  • Ele cantou a canção à Roberto Carlos. (Ele cantou a canção à moda de Roberto Carlos).
  • Ele fez um gol à Pele. (Ele fez um gol à moda de Pelé).
  • Ele comprou sapatos à Luís XV. (Ele comprou sapatos à moda de Luís XV).
  1. Casos em que a crase é opcional:

Antes dos pronomes possessivos femininos “minha”, “tua”, “nossa” e etc…

Nesses casos, o uso do artigo antes do pronome é opcional.

Exemplo:

  • Eu devo satisfações à minha mãe, ou, eu devo satisfações a minha mãe.
  • Antes de substantivos femininos próprios.

Vale lembrar que, antes de nomes próprios femininos, o uso da crase é opcional, até porque o artigo antes do nome não é obrigatório.

Exemplos:

  • Carlos fez um pedido à Mariana, ou, Carlos fez um pedido a Mariana.
  • Se depois da preposição “até” houver uma palavra feminina que admita artigo, a crase será opcional.

Exemplo:

  • Os amigos foram até à praça. Ou, os amigos foram até a praça.

Fonte: dicas LFG Concursos.

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “PORTUGUÊS”

Comentários