Manifesto pela leveza

Fica aqui registrado meu mais novo manifesto para a melhoria da convivência humana: coloque pra fora o que te incomoda! Esse talvez seja um dos maiores clichês que já escrevi na vida… mas é inevitável!

Num mundo onde compartilhar os mais íntimos desejos e segredos se tornou banal, isso parece uma bobagem. As redes sociais estão apinhadas de #partiudetudo, então peço a gentileza de sermos mais honestos com nós mesmos e começar a adotar a simples postura do #partiusermaisleve. E como ser mais leve eu não estou sugerindo #partiuacademia.

A leveza é talvez uma das coisas mais difíceis de se atingir na vida, porque exige desapego, força de vontade, coração aberto, amor ao próximo, sublimação, elevação de espírito, bondade, gentileza, bom humor, saber rir da vida.

A gente passa a vida toda enfrentando desafios, superando obstáculos, vencendo demandas, driblando situações inesperadas. A improbabilidade e a inconstância são inerentes à vivência humana… não dá pra escapar. A questão está em como passar pelas situações desagradáveis que a vida nos impõe.

Quantas pessoas na vida nós conhecemos que parecem caminhar por aí carregando 500 quilos de pedra nas costas? E quantas delas olham para o próximo como se fossem jogar esses 500 quilos de pedras na direção deles? Elas simplesmente não souberam passar pelas dificuldades sem trazer para os ombros os dissabores, as mágoas e os sofrimentos.

Imagina a tortura de só conseguir lembrar e andar arrastando as correntes das coisas ruins que te aconteceram? O peso deve ser insuportável.

Por isso o manifesto! Coloca pra fora, amigo! Para de engolir as coisas ruins e começa a vomitar isso aí. Situações desagradáveis, momentos doloridos, perdas irreparáveis, decepções… tudo isso vem, mas tem que ir. Para de guardar o que te fez mal! Supere e vai ser feliz. E por felicidade entenda: o que te põe um sorriso no rosto… desde ficar descalço depois de um dia inteiro com um sapato apertado até comemorar 50 anos de um casamento cheio de amor!

E digo mais, vamos todos lutar pela meta de sermos mais leves! Para isso, vou usar as palavras da jornalista Leila Ferreira:

“Tem gente que vem pro mundo de caminhão e tem gente que vem de bicicleta. Acostumada a arrastar baús cheios de ansiedade e de medos, tive certeza, naquela hora, de que estava na outra turma: a das carretas com excesso de carga. (…) Quando penso em leveza, penso na possibilidade de sermos pessoas capazes de deixar o mundo menos opaco, menos pesado, menos inerte. Pessoas que se sentem melhor com elas mesmas são mais agradáveis, mais delicadas, mais generosas. Acima de tudo, pessoas que conseguem fazer a viagem (cada vez mais rara) de sair delas próprias para enxergar o outro – e o outro pode ser o colega de trabalho, o filho, a amiga de infância, o vizinho, o marido, a namorada, o paciente que esperou vários dias pela consulta, o porteiro do prédio.”

Comentários

Tatiana Linhares. Muitas. Jornalista. Mineira. Tatuada. Outono e primavera. Pão de queijo. Livros. Música. Revistas. Cinema. Teatro. Futebol. Cruzeiro. Viagens de carro. Areia e mar. Esmalte colorido. Cerveja gelada. Família grande. Incontáveis amores. Paixonites agudas. Saudade. Simplicidade. Palavras