Mais algumas dicas de português

Prezados leitores, muitas pessoas gostaram das dicas da semana passada. “Sempre fiz confusão com essa história de bimensal”, ouvi de um. “Ao invés sempre me derrubou em provas”, disse outro. O fato, meus amigos, é que a nossa língua nos derruba o tempo inteiro, seja escrevendo ou falando.

Por isso me senti motivado a continuar dividindo com vocês as dicas mais comuns sobre português, na esperança de que, a partir delas, pelo menos os meus leitores corram menos riscos de errar. E, mais uma vez, recorri aos ensinamentos do professor de Português Sérgio Nogueira, do qual sou fã incondicional.

Então vamos às dicas:

PARALISAR ou PARALIZAR?

Essa é uma dúvida bastante comum. O verbo significa “deixar sem ação”, “cessar”.

Normalmente, os verbos terminados em -IZAR são grafados com Z: amenizar, civilizar, fertilizar, legalizar, normalizar, realizar, suavizar, etc. O que esses verbos têm em comum? Nenhum deles tem a letra Z ou a letra S na palavra de origem: ameno, civil, fértil, legal, normal, real, suave.

Já o verbo PARALISAR é diferente. Ele deriva de PARALISIA, que se escreve com S. E escrevem-se com S (a terminação ISAR) os verbos derivados de palavras que já têm S: análise > ANALISAR, aviso > AVISAR, paralisia > PARALISAR, pesquisa > PESQUISAR.

ARQUI-RIVAL ou ARQUIRRIVAL?

Até o Acordo Ortográfico, que entrou em vigor em 2009, cada prefixo tinha suas regras quanto ao uso, ou não, do hífen em palavras que se formam com prefixo (como ARQUI, ANTI, SEMI, etc.). O Acordo Ortográfico unificou as regras, e agora o hífen só é usado antes de H e antes de palavra que comece com a mesma vogal do final do prefixo. Por exemplo, ARQUI-INIMIGO tem hífen porque INIMIGO começa com I, mesma letra final de ARQUI.

E quando a palavra seguinte começa com R? Quando isso acontece, a união é SEM HÍFEN e o R é dobrado. O mesmo vale para o S. Exemplos: AUTORRETRATO, SEMIRRETA, ANTISSOCIAL… ARQUIRRIVAL se encaixa nesse caso, por isso se escreve com dois erres.

Portanto, só se usa hífen com prefixos de mais de uma sílaba e  terminados em vogal, quando a palavra seguinte começa por H e vogal igual. Exemplo: contra-ataque, sobre-erguer, anti-inflacionário, micro-ondas, anti-hemorrágico, mini-hospital, sobre-humano, arqui-inimigo…

Com as demais letras, devemos escrever tudo junto (sem hífen). Exemplo: autocontrole, contraceptivo, contraindicação, infraestrutura, antissocial, antebraço, minissaia, televendas, arquirrival…

EMPECILHO ou IMPECILHO?

Essa palavra designa qualquer coisa que estorva, que atrapalha, que impede a realização de alguma coisa. Então, como devemos escrevê-la?

A forma correta é EMPECILHO, e não tem nada a ver com IMPEDIR, a não ser pelo significado. Por isso, de agora em diante não deixe mais esta palavra te derrubar.

VEROSSÍMEL, VEROSSÍMIL ou VEROSSÍMIO?

Como você escreveria essa palavra: INVEROSSÍMEL (com EL), INVEROSSÍMIL (com IL) ou INVEROSSÍMIO (com IO)? Vamos começar por eliminação: VEROSSÍMEL e INVERISSÍMEL(com EL) não existem. E as outras duas?

Essa palavra é derivada de VEROSSIMILHANÇA, ou seja, um nexo lógico entre os fatos ou as ideias. Então, o que tem VEROSSIMILHANÇA é… VEROSSÍMIL, com IL. A outra forma, VEROSSÍMIO (com IO no final), também não existe na língua portuguesa.

Boa leitura e bom aprendizado. Até a semana que vem!

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.