GASTRONOMIA: Os restaurantes brasileiros estrelados em 2017

Na última segunda-feira, 08 de maio, aconteceu o lançamento do Guia Michelin 2017, com restaurantes do Rio de Janeiro e São Paulo recebendo estrelas. Pouca coisa mudou do ano passado para este.

O prêmio mais disputado entre os restaurantes de todo mundo teve sua edição nacional no Hotel Unique em São Paulo em uma badalada festa. Os ranking e premiações são sempre polêmicos e o Guia vem sendo alvo de críticas constantes, principalmente por não considerar nenhum restaurante brasileiro excepcional (três estrelas) e por classificar de formas diferentes restaurantes com características similares.

Sem grandes emoções e novidades, o Guia trouxe três novas casas à sua lista: o paulistano Picchi e o carioca Laguiole recebem pela primeira vez a classificação de uma estrela, já o também carioca Oro, do chefe Felipe Bronze, voltou a lista depois de ter fechado ano passado e, depois de reestruturado, retornou este ano com novo endereço e perfil.

O restaurante D.O.M, do badalado chefe Alex Atala, mantem sua posição há três anos como o único brasileiro com duas estrelas.

Houve maior movimentação nos restaurantes de bom preço e boa cozinha. A lista Bibs Gourmand ganhou sete novos nomes e o único restaurante aberto que perdeu sua estrela foi o Attimo, em São Paulo. Os restaurantes que fecham perdem automaticamente seu título, como foi o caso do Sudbrack, da aclamada chefe Roberta Sudbrack.

Confira os estrelados:

Duas estrelas

D.O.M. (Jardins, São Paulo): A casa do chef Alex Atala continua sendo considerada a melhor do Brasil e a única a ostentar as duas estrelas.

Uma estrela

Eleven Rio (Ipanema, Rio de Janeiro)
Laguiole (Centro, Rio de Janeiro)
Lasai (Botafogo, Rio de Janeiro)
Mee (Copacabana, Rio de Janeiro)
Olympe (Lagoa, Rio de Janeiro)
Oro (Leblon, Rio de Janeiro)
Dalva e Dito (Jardins, São Paulo)
Esquina Mocotó (Vila Medeiros, São Paulo)
Fasano (Jardins, São Paulo)
Huto (Indianópolis, São Paulo)
Jun Sakamoto (Pinheiros, São Paulo)
Kan Suke (Jardins, São Paulo)
Kinoshita (Vila Conceição, São Paulo)
Kosushi (Itaim Bibi, São Paulo)
Maní (Pinheiros, São Paulo)
Picchi (Jardins, São Paulo)
Tête à Tête (Jardins, São Paulo)
Tuju (Pinheiros, São Paulo)

Bib Gourmand

Artigiano (Ipanema, Rio de Janeiro)
Bottega del Vino (Leblon, Rio de Janeiro)
Entretapas Botafogo (Botafogo, Rio de Janeiro)
Gurumê (São Conrado, Rio de Janeiro)
Lima Restobar (Botafogo, Rio de Janeiro)
Miam Miam (Botafogo, Rio de Janeiro)
Oui Oui (Botafogo, Rio de Janeiro)
Pomodorino (Ipanema, Rio de Janeiro)
Restô (Ipanema, Rio de Janeiro)
Riso Bistrô (Ipanema, Rio de Janeiro)
Antonietta Empório (Consolação, São Paulo)
Arturito (Pinheiros, São Paulo)
Le Bife (Itaim Bibi, São Paulo)
Bistrot de Paris (Jardins, São Paulo)
Bona (Pinheiros, São Paulo)
Brasserie Victória (Vila Nova Conceição, São Paulo)
A Casa do Porco (República, São Paulo)
Casa Santo Antônio (Santo Amaro, São Paulo)
Ecully – Perdizes (Perdizes, São Paulo)
Jiquitaia (Consolação, São Paulo)
Manioca (Jardins, São Paulo)
Mimo (Jardins, São Paulo)
Miya (Pinheiros, São Paulo)
Mocotó (Vila Medeiros, São Paulo)
Niaya (Pinheiros, São Paulo)
La Peruana Cevichería (Jardins, São Paulo)
Petí Gastronomia (Perdizes, São Paulo)
Più (Pinheiros, São Paulo)
Tanit (Jardins, São Paulo)
Tartar & Co (Pinheiros, São Paulo)
TonTon (Jardins, São Paulo)
Tordesilhas (Jardins, São Paulo)
Zena Caffè (Jardins, São Paulo)

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “GASTRONOMIA”

Comentários

Kamila Duarte de Jesus ou simplesmente Nêga, como é chamada pela família e pelos amigos, traz a paixão pelas panelas no DNA. Bisneta de Raimundo Cozinheiro - cozinheiro dos ingleses que vieram para Itabira junto com a Companhia Vale do Rio Doce -, aprendeu a cozinhar ainda criança quando usava um mini fogão a lenha para preparar guisados e batatas para suas bonecas. Formou-se em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário Newton Paiva por ouvir de todos que era muito criativa. A paixão pela gastronomia passou de brincadeira de criança a assunto de adulto e já atuando profissionalmente na área se formou em Cozinha Profissional pelo Senac – MG em 2014. Acredita que um bom prato de sopa até cura, que doce é um carinho na alma e que cozinhar é uma maneira de demonstrar amor ao próximo.