GASTRONOMIA: Mesa farta, coração satisfeito

Eu estou sempre falando sobre o quanto cozinhar é um ato de amor ao próximo e o quanto a comida nos une.

As festas de fim de ano e a ceia do Natal nos dizem muito disso. Família e amigos reunidos em volta de mesas fartas, confraternizando e compartilhando mais do que refeições, mas também o sentimento de união e todo o significado que a data traz consigo.

A ceia é preparada com antecedência, e, não importa se você foi para a cozinha ou se, por alguma razão, encomendou tudo de algum buffet. Quem preparou cada alimento dedicou tempo, carinho e comprometimento para que tudo saísse perfeitamente bem e os comensais pudessem se lembrar daquele momento como a data pede: com alegria.

As refeições são (ou deveriam ser) sempre momentos de união, partilha, confraternização e alegria. E são essas coisas que eu desejo a cada um de vocês, hoje.

Que todos possam ter sempre, independente do dia marcado no calendário, refeições e momentos deliciosos, cheios de sabor, alegria, partilhas, trocas e doação. Que nos lembremos também de quem não terá nestes dias de festas a mesa farta, o amor da família e dos amigos, uma mesa onde possa celebrar esse espírito de união e fraternidade.

Que possamos nos lembrar da partilha do pão sempre que sentarmos à mesa para fazer uma refeição e, com isso, carregar conosco esse sentimento de amor ao próximo, de respeito ao outro e ao alimento que nos é oferecido.

A todos os amigos leitores um Natal farto de sabores e amores.

Comentários

Kamila Duarte de Jesus ou simplesmente Nêga, como é chamada pela família e pelos amigos, traz a paixão pelas panelas no DNA. Bisneta de Raimundo Cozinheiro - cozinheiro dos ingleses que vieram para Itabira junto com a Companhia Vale do Rio Doce -, aprendeu a cozinhar ainda criança quando usava um mini fogão a lenha para preparar guisados e batatas para suas bonecas. Formou-se em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário Newton Paiva por ouvir de todos que era muito criativa. A paixão pela gastronomia passou de brincadeira de criança a assunto de adulto e já atuando profissionalmente na área se formou em Cozinha Profissional pelo Senac – MG em 2014. Acredita que um bom prato de sopa até cura, que doce é um carinho na alma e que cozinhar é uma maneira de demonstrar amor ao próximo.