GASTRONOMIA: A famigerada coxinha de churros: sim, eu fiz!

Eu já falei aqui na coluna sobre a gourmetização, a criatividade das pessoas, a enorme lista de iguarias que ganham versões a cada dia e o mercado que elas têm alcançado.

Nas últimas semanas eu perdi a conta de quantas pessoas me mandaram links ou me marcaram em publicações sobre uma coxinha de doce de leite ou coxinha de churros, que foi apelidada de “coxurros” (péssima escolha de nome).

Eu vi quase todos os links e postagens e não tinha nenhuma surpresa. Com exceção de um ou dois que usaram uma massa de coxinha doce, as outras receitas eram a tradicional massa de churros com consistência de modelar.

Eu resolvi testar uma versão dessa iguaria por curiosidade e também para mostrar a vocês que é bem simples e não a há nada de gourmet ou inovador nisso. Você pode fazer a massa de churros, que é simples, e modelar em qualquer formato: coxinha, croquete, bolinha, se tiver cortadores pode fazer pastel, florzinha, estrelinha… enfim, pode soltar a imaginação.

*Fica a dica aí pras mães se divertirem com a criançada no fim de semana.

E, como sempre, dei uma adaptada na receita e no fim farei algumas observações, mas, já adianto, é MUITO boa essa versão de churros em formato de coxinha.

Coxinha de Churros
Ingredientes:
Para o recheio eu cozinhei uma lata de leite condensado na panela de pressão por 40 minutos, mas você pode usar doce de leite pronto da sua preferência.

Tirei o rótulo da lata, coloquei na panela com água até cobrir, e contei o tempo após começar sair o ar.

Importante: NUNCA abra a lata quente, deixe esfriar por completo. Eu deixei no congelador por umas duas horas antes de abrir.

Para a massa
200g de farinha de trigo
50g de fubá
30ml de óleo
50g de açúcar (se quiser a massa mais moreninha utilize açúcar mascavo)
1 colher de chá de canela
400ml de água
1 colher de café de sal

Modo de preparo
Coloque a água e o óleo em uma panela e leve ao fogo para ferver. Peneire todos os ingredientes secos e junte na panela mexendo sempre até a massa ficar lisa e começar a desgrudar da panela (o mesmo processo da coxinha).

Coloque a massa em uma superfície lisa e sove um pouco até ficar lisa, brilhante e não grudar na mão. Cuidado nessa hora, pois a massa estará quente e é importante trabalhá-la bem para facilitar na hora de modelar.

Deixe a massa esfriar por completo. Modele as coxinhas, ou no formato que preferir, e recheie com o doce de leite.

Para fritar
Eu testei duas opções. Na primeira, eu fritei as coxinhas em óleo quente e passei no açúcar com canela, como fazemos com o churros tradicional. Na segunda, eu fiz como as coxinhas salgadas e passei no ovo batido e na farinha de rosca com canela antes de fritar e depois passei no açúcar com canela. As duas opções ficaram boas. Achei a segunda melhor pelo fato de absorver menos gordura.

Observações
Não deixe as coxinhas prontas de um dia para o outro, pois a umidade do recheio faz com que a massa rache e o recheio vaze.

Cuidado ao fazer a massa muito fina para que o recheio não vaze (tentei fazer uma versão com menos massa e mais recheio e algumas coxinhas furaram – hahaha).

Vocês podem variar o recheio com, por exemplo, brigadeiro ou Nutella.

Mesmo sendo uma receita bem doce, confesso que comi ao menos meia dúzia! Hahahaha!!!

Agora é só ir pra cozinha e impressionar a família e os amigos. Até semana que vem!

coluna_kamila_03_01

Comentários

Kamila Duarte de Jesus ou simplesmente Nêga, como é chamada pela família e pelos amigos, traz a paixão pelas panelas no DNA. Bisneta de Raimundo Cozinheiro - cozinheiro dos ingleses que vieram para Itabira junto com a Companhia Vale do Rio Doce -, aprendeu a cozinhar ainda criança quando usava um mini fogão a lenha para preparar guisados e batatas para suas bonecas. Formou-se em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário Newton Paiva por ouvir de todos que era muito criativa. A paixão pela gastronomia passou de brincadeira de criança a assunto de adulto e já atuando profissionalmente na área se formou em Cozinha Profissional pelo Senac – MG em 2014. Acredita que um bom prato de sopa até cura, que doce é um carinho na alma e que cozinhar é uma maneira de demonstrar amor ao próximo.