GASTRONOMIA: 10 Dicas para um carnaval de boa

Entra bloco carnavalesco, sai escola de samba e a gente repete o mesmo enredo na época do confete e serpentina. No carnaval, os foliões exageram na bebida e se esquecem da comida, por isso separei aqui aquelas dicas de sempre, mas que, nessa época, precisam ser relembradas.

  1. Hidrate-se! Suco natural, água de coco e muita água para aguentar os dias de festa embaixo do sol quente;
  2. Não deixe de se alimentar. Faça refeições leves antes de sair de casa. Opte por salada de frutas, uma massa com molho leve, salada com carne grelhada ou uma sopa de legumes;
  3. Tenha cuidado ao comer fora de casa. As comidas de rua nem sempre estão em boas condições de armazenamento e no calor o risco de contaminação aumenta;
  4. Leve na bolsa uma fruta, barras de cereal, castanhas e tenha sempre uma garrafa de água em mãos;
  5. Sanduiches naturais são ótimas opções de lanches, mas tenha cuidado ao escolher o recheio, alguns alimentos têm pouca durabilidade fora da refrigeração adequada. Dê preferência aos que não levam maionese e requeijão na composição;
  6. O ovo é um excelente combatente da ressaca. Possui uma proteína que ajuda o organismo a se desintoxicar do álcool, além de um aminoácido chamado cisteína que ajuda na produção de glutationa, molécula importante no processo de desintoxicação do fígado;
  7. Água de coco é um isotônico natural que ajuda na hidratação do corpo;
  8. Não beba em jejum. O álcool é absorvido mais rápido, aumentando a sensação de embriaguez, e a ressaca é certeira;
  9. Gengibre e hortelã ajudam a diminuir a sensação de náusea da ressaca, o alecrim é um anti-inflamatório natural e a canela ajuda a normalizar os picos de glicose. Experimente utilizá-los em sucos na manhã de ressaca;
  10. E, por último, mas de extrema importância: se beber, não dirija.

Boa folia a todos! Aproveitem com consciência!

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “GASTRONOMIA”

Comentários

Kamila Duarte de Jesus ou simplesmente Nêga, como é chamada pela família e pelos amigos, traz a paixão pelas panelas no DNA. Bisneta de Raimundo Cozinheiro - cozinheiro dos ingleses que vieram para Itabira junto com a Companhia Vale do Rio Doce -, aprendeu a cozinhar ainda criança quando usava um mini fogão a lenha para preparar guisados e batatas para suas bonecas. Formou-se em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário Newton Paiva por ouvir de todos que era muito criativa. A paixão pela gastronomia passou de brincadeira de criança a assunto de adulto e já atuando profissionalmente na área se formou em Cozinha Profissional pelo Senac – MG em 2014. Acredita que um bom prato de sopa até cura, que doce é um carinho na alma e que cozinhar é uma maneira de demonstrar amor ao próximo.