“Esse e este” – diferenças, empregos e dicas

Prezados leitores, a coluna dessa semana foca um assunto que, tenho certeza, a maioria das pessoas tem dificuldade com seu emprego. “Esse ou este” – como usar? Quais as diferenças entre eles? Novamente recorri às minhas anotações, pesquisei em livros sobre Português, folheei apostilas e dei uma “olhadinha” na internet. O resultado segue nos próximos parágrafos.

“Esse” ou “este” são pronomes demonstrativos que têm formas variáveis, de acordo com o número ou gênero. A definição de pronomes demonstrativos descreve muito bem a função deles: são empregados para indicar a posição dos seres no tempo e espaço em relação às pessoas do discurso: quem fala (1ª pessoa) e com quem se fala (2ª pessoa).

Este, esta e isto são usados para objetos que estão próximos do falante. Em relação ao tempo, são usados no presente. Exemplo: Este brinco na minha orelha é meu. Este mês vou comprar um sapato novo. Isto aqui na minha mão é de comer?

Esse, essa, isso são usados para objetos que estão próximos da pessoa com quem se fala. Em relação ao tempo, é usado no passado ou futuro. Exemplo: Quando comprou esse brinco que está na sua orelha? Esse mês vai ser de muita prosperidade! Isso que você pegou na geladeira é de comer?

Outros exemplos: a) Este sapato me pertence; B) Quando você comprou esse sapato que está usando? Em (a), o sapato é de quem fala e, portanto, está mais próximo dele. Em (b), o sapato é do ouvinte.

Mais um exemplo: A Terra gira em torno do Sol. Esse movimento é conhecido como translação. Este argumento de que os homens não choram é ultrapassado.

Existe, ainda, a posição dos seres no tempo e no espaço em relação à pessoa de quem se fala (3ª pessoa). Nesse último caso, o pronome é aquele (aquela, aquilo). Então: 1ª pessoa – este, esta, isto; 2ª pessoa – esse, essa, isso; e, 3ª pessoa – aquele, aquela, aquilo. Exemplos: aquele livro ali é dele. Ou, aquele foi o melhor ano da minha infância.

Entre essas funções, a mais importante é a de retomar ideias já mencionadas e ajudar na articulação do texto. A regra é basicamente a mesma para “deste” e “desse”, “isto” e “isso” e “disto” e “disso”.

Importante: quando ficar com dúvida a respeito do uso de “esse” ou “este”, lembre-se: “este” (próximo a mim, presente) e “esse” (distante de mim, passado e futuro).

Boa leitura!

Comentários

Celso Charneca Leopoldino é graduado em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, pós-graduação em Marketing para Executivos e MBA em Gestão Socioambiental. Fez vários cursos nas áreas de gestão social e de gestão de comunicação estratégica. Possui mais de 35 anos de experiência em comunicação empresarial, gestão social, relações com comunidades e relações institucionais.