ESPORTES: Terreiro Novo – a Arena do Galo segue firme e o Cruzeiro também pode ganhar com isso

Na tarde de segunda-feira, 18 de setembro de 2017, o Clube Atlético Mineiro teve uma decisão das mais importantes de sua história. O Galo não estava em campo e quem decidiu o destino do clube não foram os jogadores, mas os conselheiros, que votaram pauta essencial para o sonho atleticano de construir um novo estádio.

A impressão geral sobre a obra há dez anos seria de total espanto. Com a confirmação da Copa do Mundo de Futebol de 2014 no Brasil há dez anos, Mineirão e Independência passaram por reformas, o primeiro para servir de sede para partidas importantes, o segundo para abrigar os clubes da capital durante um período e, ainda, servir como possível local de treinamento para as seleções que desejassem estadear em solo mineiro.

O atual prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, na época estava como presidente do Atlético e conseguiu um acordo vantajoso com a empresa BWA, tirando o alvinegro do Mineirão e trazendo ganhos técnicos e financeiros para o clube.

A mística do Horto sempre estará presente na memória do atleticano, entretanto, o caso Mineirão causava indignação em muitos torcedores. Foram gastos cerca de 600 milhões de reais na reforma de um estádio charmoso que era a casa dos dois gigantes de Minas e, após a reforma, os clubes se afastaram dele.

O Atlético adotou o Independência como casa principal e o Mineirão só era usado em jogos de maior apelo de público. O Cruzeiro, que continuou a mandar suas partidas na Pampulha, por muitas vezes, teve problemas com a administradora do estádio, ameaçando deixar de atuar no estádio da Copa.

A Copa do Mundo no Brasil foi uma excelente escola em relação ao que não deve ser feito. Os erros nas obras, os casos de polícia e estádio custando 1 bilhão de reais mostraram aos dirigentes do Atlético a partir de 2013 que era possível ao clube sair da vida de Seu Madruga e conquistar o sonho da casa própria.

Para os mineiros, de maneira geral, é uma grande obra. E o melhor, depois de tantos escândalos nos empreendimentos públicos, o Galo vai trazer uma opção de lazer para à comunidade e com uma obra da iniciativa privada.

O Cruzeiro inegavelmente tem maior identificação com o “New Mineirão”. O bicampeonato brasileiro conquistado lá e o afastamento do Atlético do estádio criaram essa melhor relação do torcedor celeste com o Gigante da Pampulha. Com o rival ganhando uma possível casa, o Cruzeiro também pode se dar bem, conseguindo melhores condições frente a Minas Arena e ganhando melhor espaço para o torcedor, além de maior faturamento.

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “ESPORTES”

Comentários

Amante do futebol, skatista há mais de uma década, entusiasta de automobilismo e apreciador de esportes em geral. Acompanha os principais eventos esportivos nacionais e internacionais, muitos deles "in loco", para absorver melhor as emoções e repassa-las com maior riqueza de detalhes.