ESPORTES: O clássico do equilíbrio

O jogo de domingo, 19 de setembro, era de suma importância para os dois gigantes de Minas Gerais. O Cruzeiro, mandante, contava com o apoio da sua torcida para continuar fora do Z4 e voltar a vencer depois de duas derrotas seguidas. O Atlético, por sua vez, também precisava da vitória, pressionado pelos triunfos dos concorrentes diretos na briga pelo título.

O alvinegro começou bem o jogo, não dando muitos espaços para o time celeste e conseguindo ter profundidade nas jogadas de ataque. O venezuelano Otero acertou o travessão em um bonito arremate de fora da área e o Atlético parecia mais perto do gol, que logo saiu depois de uma boa trama entre o meio campo e o ataque, terminando com a conclusão certeira na cabeçada de Clayton.

Ainda no primeiro tempo, o Cruzeiro teve boas oportunidades para chegar ao empate, mas falhou no arremate final. Primeiro, com o uruguaio Arrascaeta e depois, com Abila, que perdeu de frente para o gol, em um típico lance em que normalmente ele é letal.

O segundo tempo começou como o primeiro. O Cruzeiro ainda dava muitos espaços e liberdade para os avantes do Galo. Os treinadores fizeram suas substituições e Mano Menezes foi mais feliz que Marcelo Oliveira. As entradas de Alisson e Élber mudaram muito o jogo, a Raposa partiu para cima e numa linda jogada de ataque chegou ao empate, com um belo gol do meia Robinho.

Depois do gol, o jogo se arrastou morno até o final. O calor só vinha mesmo das arquibancadas e o empate foi um resultado justo no clássico do equilíbrio.

A rodada para os mineiros termina hoje à noite no Horto, com o lanterna América recebendo o Internacional, que vive momento delicado.

Atlético e Cruzeiro dão uma pausa no Brasileiro para pensarem na Copa do Brasil. O time azul, em situação muito mais confortável depois de golear o Botafogo por 5 a 2 fora de casa, pode até perder por três gols de diferença, tomando até quatro gols no Mineirão, que garante a vaga. Já o Atlético precisa vencer a Ponte em Campinas ou no mínimo empatar por mais de dois gols para voltar classificado. O empate por um a um leva a decisão para os pênaltis.

LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “ESPORTES”

Comentários

Amante do futebol, skatista há mais de uma década, entusiasta de automobilismo e apreciador de esportes em geral. Acompanha os principais eventos esportivos nacionais e internacionais, muitos deles "in loco", para absorver melhor as emoções e repassa-las com maior riqueza de detalhes.