ESPORTES: Infelizmente mais sobre CBF

A CBF vê sua fonte inesgotável de dinheiro se encolher cada vez mais. Em dezembro passado, a poderosa confederação possuía 13 patrocinadores. Mal entramos neste mês de fevereiro e a entidade reduziu o grupo para 11. Devido a todos os escândalos de corrupção de seus antigos presidentes, Gillette e Sadia desvincularam suas marcas da CBF, que vem sofrendo total descrença e caminha num processo parecido com o da Fifa, que perdeu cinco patrocinadores.

Outros patrocinadores da Fifa já ameaçaram: ou aconteçam mudanças na entidade ou também romperão os contratos. Fato é que a Fifa parece ter entendido o recado e está fazendo um enorme esforço para mantê-los. Diferente da CBF, que pensa em trocar Felipão por Dunga, Ricardo Teixeira por Marin e Marco Polo por coronel Nunes para resolver os problemas.

Notícia boa mesmo sobre a CBF é só a nova bola que será utilizada na Copa do Brasil e no Campeonato Brasileiro neste ano. Curiosamente chamada de “Ordem CBF Brasil 3”, a bola é, segundo a Nike, sua fabricante, “a melhor já projetada em termos aerodinâmicos”. O modelo é produzido com 40% de couro sintético, 30% de borracha, 20% de poliéster e 10% de algodão. Vale destacar que é o mesmo modelo utilizado nas ligas espanhola, inglesa e italiana.

Comentários

Lucas, Cabelo e até Lucão (juro!). Único filho homem em uma família com duas irmãs que, assim como todo brasileiro, também sonhava em ser jogador de futebol. Tão talentoso que do campo foi para o sofá e do sofá para o teclado. Hobbie? Bola. Seja redonda ou oval, grande ou pequena, com ou sem costura; a emoção é sempre a mesma!