ESPORTES: Frustrações e decisões: a semana dos mineiros no futebol

O Mineirão estava azul na última quarta-feira, 26 de outubro. Mais de 50 mil cruzeirenses lotaram o Gigante da Pampulha, fizeram uma grande festa e criaram o clima ideal para mais uma vitória do Cruzeiro. O jogo em casa, ao lado do torcedor, era a oportunidade perfeita pra abrir uma boa vantagem contra o Grêmio e se aproximar de mais uma decisão de Copa do Brasil. O clima era favorável nas arquibancadas e a confiança da China Azul era grande num time que entrava descansado, já que Mano Menezes havia poupado seus titulares diante do Vitória, em Salvador.

Tudo estava pronto para a festa mineira, mas o Grêmio de Renato Gaúcho jogou sua melhor partida no ano, foi muito superior ao Cruzeiro, que sequer conseguiu ter uma chance clara na partida e, jogando com muita precisão, o time do Sul venceu por 2 a 0, comandado pela boa atuação do meia Douglas, autor do segundo gol. Outro destaque da partida foi o jovem Luan, o medalhista olímpico anotou um golaço ainda no primeiro tempo que desestabilizou o Cruzeiro e trouxe uma tranquilidade enorme para o Grêmio controlar a partida.

A derrota frustrante obriga o Cruzeiro a ter que reverter a vantagem gremista em Porto Alegre com a Arena Grêmio lotada. Focado nessa difícil missão, o técnico Mano Menezes poupou o time novamente no Brasileirão para a partida do sábado contra o Atlético do Paraná. Desta vez a estratégia não deu certo e o Cruzeiro perdeu por 1 a 0 na Arena da Baixada em Curitiba. Mesmo com a derrota o time permanece com certa distância da zona de rebaixamento e se permite focar no jogo desta quarta-feira, 02 de novembro, para tentar chegar à final da Copa do Brasil.

02
Jogando no Paraná, o Cruzeiro não conseguiu superar o Atlético Paranaense.

Se o cruzeirense saiu frustrado do Mineirão na quarta-feira e viu o seu time ficar mais distante do título que persegue, no sábado, 29 de outubro, foi a vez de o atleticano sair chateado e se ver distante também de uma conquista muito almejada. O Atlético chegou para a partida contra o Flamengo com certa tranquilidade em relação à Copa do Brasil. O Galo venceu o Inter em Porto Alegre por 2 a 1 e, com este resultado, pode até perder por 1 a 0 no Horto que ainda assim garante vaga na decisão da competição.

Mesmo com a proximidade da decisão na Copa do Brasil, o atleticano queria mais: vencer o Flamengo no Mineirão lotado e se aproximar do Palmeiras, mantendo vivo o sonho do título brasileiro. Mas as coisas não começaram bem. O Atlético começou com seu tradicional abafa, mas logo o Flamengo tomou conta do jogo, controlou o meio-campo e abriu o placar com Diego. O clima era tenso, Marcelo Oliveira ousou nas substituições e foi chamado de burro.

O jogo se encaminhava para o final quando Fred sofreu pênalti do ex-atleticano Réver. Robinho bateu e converteu o pênalti em gol, o Galo foi pra cima no canto da Massa e o argentino Lucas Pratto virou o placar. Parecia mais uma daquelas viradas épicas do Atlético, tudo estava perfeito, mas a defesa, que perdeu bolas na área durante todo o jogo, sofreu mais um castigo: um tiro de misericórdia dado pelo peruano Paolo Guerrero. O jogo acabou em 2 a 2 e foi inegavelmente um gosto muito amargo para o atleticano.

03
Atlético e Flamengo protagonizaram grande partida no Mineirão, mas o empate acabou saindo amargo para as equipes.

Os times mineiros voltam a campo nesse meio de semana e jogam a sorte na Copa do Brasil. O Cruzeiro tenta um pequeno milagre contra o Grêmio fora de casa, enquanto o Atlético, mais tranquilo, recebe o time misto do Internacional, que está mais focado em se livrar da zona de rebaixamento no Brasileirão.

Se Atlético e Cruzeiro triunfarem teremos mais uma final pão de queijo na Copa do Brasil – será a 2ª em apenas dois anos.

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “ESPORTES”

Comentários

Amante do futebol, skatista há mais de uma década, entusiasta de automobilismo e apreciador de esportes em geral. Acompanha os principais eventos esportivos nacionais e internacionais, muitos deles "in loco", para absorver melhor as emoções e repassa-las com maior riqueza de detalhes.