ESPORTES: Alívio e esperança: as vitórias de Cruzeiro e Atlético

O Campeonato Brasileiro de Futebol se afunila e, na sua fase final, o desespero de uns e a ambição de outros proporcionam ao torcedor partidas mais nervosas e disputadas. É hora de selar o destino dos clubes na principal competição do país.

Os gigantes mineiros entraram na 32ª rodada precisando da vitória. O Cruzeiro queria se afastar de vez da zona da degola e um triunfo sobre o Vitória, em Salvador, era a oportunidade perfeita. Além de somar três pontos, vencendo, a raposa ainda afundava o adversário, até então concorrente direto na luta contra o rebaixamento. Mano Menezes optou por escalar um time bem diferente do que vinha atuando como titular: confiou na força do elenco e poupou peças pensando no jogo de quarta-feira, 26 de outubro, pela Copa do Brasil. Um empate não era um resultado ruim para o Cruzeiro, mas o time alternativo fez mais que isso e venceu o jogo.

O Cruzeiro, que desde o início do ano vinha patinando e causando desconfiança no torcedor, nos últimos jogos encontrou um bom futebol, a sintonia com a torcida e tem se mostrado um time muito aguerrido. Após a grande exibição contra o Corinthians no meio de semana, em que o Mineirão foi palco da classificação celeste para as semifinais da Copa do Brasil, mais uma vez o time mostrou espírito vencedor ao ganhar em Salvador uma partida difícil, suportando a pressão fora de casa, mesmo tendo jogado a maior parte do segundo tempo com um a menos – aos nove minutos da segunda etapa o zagueiro Léo foi expulso. E, mesmo no momento mais adverso, quando no fim do jogo o árbitro assinalou penalidade a favor do Vitória, o Cruzeiro se superou, mais uma vez nas mãos do excelente goleiro Rafael, que tem feito uma grande temporada após a contusão de Fábio, ídolo da China Azul. Rafael pegou mais um pênalti neste campeonato e provou ser, sim, um goleiro a altura do Cruzeiro.

O gol de Ariel Cabral ainda no primeiro tempo trouxe o alívio que o torcedor celeste tanto esperava neste campeonato. E isso em um momento importante na vida do Cruzeiro, que distante da zona de rebaixamento e praticamente garantido na série A do ano que vem pode voltar suas atenções para a Copa do Brasil. O clube tem a chance de chegar ao quinto título do torneio e se tornar o maior vencedor da competição. Para isso terá de eliminar o Grêmio, que também quer chegar ao pentacampeonato. Esse duelo de titãs começa nessa semana, na quarta-feira os dois times se enfrentam no Mineirão, que estará lotado e confiante em mais uma grande vitória do Cruzeiro.

05
Assim como o rival Cruzeiro, o Atlético venceu no final de semana e mantém as esperanças no Campeonato Brasileiro.

Depois do alívio azul era hora de entrar em campo a esperança alvinegra. O Galo entrou em campo já sabendo o resultado dos principais concorrentes ao título brasileiro, o sonho atleticano ficou mais distante com a vitória do Palmeiras, mas havia certo sentimento de euforia devido ao tropeço do Flamengo. Para que as esperanças de título fossem renovadas, o Atlético precisava vencer o Figueirense no Horto. Mesmo assim o técnico Marcelo Oliveira optou por poupar o craque do time. Robinho começou a partida no banco e, pela primeira vez, os meias Otero e Cazares foram escalados juntos como titulares. Além de Robinho, o lateral esquerdo Fábio Santos também foi poupado, dando espaço para o jovem e promissor Leonan.

Com a ausência de Robinho, o lado esquerdo do ataque ficou sob a tutela do venezuelano Otero, que já vinha atuando muito bem, quando numa cobrança de falta da intermediária acertou um belo chute e anotou um golaço, abrindo o placar. Depois do gol, o Atlético não foi brilhante e passou por apuros  nas ofensivas do Figueirense que, por muitas vezes, chegou ao ataque dando muito trabalho ao goleiro Vitor, que no meio de semana já havia sido o herói do Galo. Apesar das dificuldades, o time mineiro conseguiu mais dois gols no apagar das luzes, quando o Figueirense já estava jogando com um jogador a menos. A equipe catarinense ainda teve mais um atleta expulso no final do jogo, acabando a partida com apenas nove jogadores.

O virtualmente rebaixado América enfrenta hoje o Atlético Paranaense no Independência na esperança de se livrar da lanterna da competição. Já os dois gigantes ficam nos jogos decisivos do meio de semana, os mineiros Cruzeiro e Atlético enfrentam os gaúchos Grêmio e Inter, respectivamente. A esperança é que possamos, mais uma vez, acompanhar uma final mineira na Copa do Brasil, a segunda em apenas dois anos.

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “ESPORTES”

Comentários

Amante do futebol, skatista há mais de uma década, entusiasta de automobilismo e apreciador de esportes em geral. Acompanha os principais eventos esportivos nacionais e internacionais, muitos deles "in loco", para absorver melhor as emoções e repassa-las com maior riqueza de detalhes.