COTIDIANO: Tá namorando? Não? E, daí?

Sabe o que se comemora no dia 12 de junho? Conhecedores responderão: o dia dos namorados. Para o comércio, né?! Porque, na real, para o brasileiro, é uma data que não faz o menor sentido. Apenas para João Dória, o magnata da publicidade que trouxe a ideia da troca de presentes entre os apaixonados para o Brasil e convenceu os comerciantes paulistas a colocar em prática. Sucesso garantido e uma tradição instalada.

Em outros lugares, o dia dos namorados tem a ver com São Valentim. Um bispo romano que foi preso e torturado por furar os desmandos de um tal imperador Cláudio. O mal amado do Cláudio achava que se os homens não casassem, iriam se alistar no exército com mais facilidade e baixou a lei: não vai casar ninguém! Mas o nosso amigo bispo Valentim não achava justo e continuou a casar geral… na surdina. Lutou até o fim pelo amor alheio.

Aqui no Brasil, a historinha mais conhecida é a do nosso famoso Santo Casamenteiro, Antônio. Que na verdade era um franciscano português e pregou muito pouco sobre casamento e amor. Como todo franciscano, abriu mão das vaidades e luxos e peregrinou por boa parte da Europa, sobretudo Espanha, Itália e Portugal, ajudando a quem por ele procurasse. Há relatos de que ajudava moças solteiras e desesperadas a conseguir dinheiro para seus dotes e para o enxoval. O resto é lenda.

O que fica de tudo isso é apenas uma grande verdade: se você tem um (a) namorado (a), quer estar com ele (a) e comemorar o amor de vocês… não precisa de uma data como pretexto. A maioria dos casais apaixonados e felizes que conheço precisa de mais que um dia para trocar mimos.

Casais que estão dispostos a celebrar sua união valorizam é o respeito mútuo, a amizade, a parceria, o ombro amigo na hora do desespero, o abraço apertado num dia difícil, o consolo das horas tristes, o sorriso sincero das alegrias e a sensação de não solidão!

Quer valorizar quem está ao seu lado? O faça todo o dia! Sem desculpas ou formalidades. Amar é natural. Querer bem a alguém é instintivo. Prove isso com atitudes que vão além de levar para jantar e comprar um presentinho qualquer.

Tá namorando, não? Então seja tudo isso para os seus amigos, para os seus familiares! Não deixe de amar porque não tem uma pessoa aí para fazer parzinho com você. Amor é o alimento das nossas vidas. É o que nos faz viver melhor. Distribua amor por aí e espere. A gente recebe o que espalha!

E seguimos… de coração aberto!

LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “COTIDIANO”

Comentários

Tatiana Linhares. Muitas. Jornalista. Mineira. Tatuada. Outono e primavera. Pão de queijo. Livros. Música. Revistas. Cinema. Teatro. Futebol. Cruzeiro. Viagens de carro. Areia e mar. Esmalte colorido. Cerveja gelada. Família grande. Incontáveis amores. Paixonites agudas. Saudade. Simplicidade. Palavras