COTIDIANO: Tá na hora de falar de idade

33 anos. Essa é minha idade! Recém-completados no último dia de dezembro. Mas a carinha passa por 28 tranquilamente! E, brincadeiras à parte, nunca tive problemas com minha idade. Uma raridade entre mulheres, uma raridade entre pessoas que passaram dos trinta. O que faz de mim uma das poucas.

Nunca entendi esse problema com idade que as pessoas têm! Nunca mesmo! Porque é a coisa mais natural do mundo desde que a gente se entende como “gente”. Todo ano, seus pais vão lá, bonitinhos e empolgados, fazem festinha e cantam parabéns e te ensinam a contar com base em quantos aninhos vocês está fazendo…

Aí, você vira um adolescente chato (todos fomos!) e a partir dos 15 anos, começa a querer acelerar o tempo e virar um adulto de 20 e poucos anos. Aí, passados os tais 20 e poucos, você começa a se apavorar porque eles estão acabando e começa a mentir sua idade para menos! Então, você chega aos 30, chateado… porque fez 30 anos! Como assim?

Na boa, mesmo, não faz sentido isso! A pessoa passa a vida inteira querendo ter uma idade que não tem (para mais ou para menos), perde aquela fase da vida e depois fica correndo atrás do tempo perdido para voltar a ter uma idade que não tem!

É coisa de doido!

Amigos e leitores parem com isso! Assumam a delícia da idade que vocês têm e sejam felizes! Cada fase da vida tem coisas tão incríveis… coisas tão importantes de serem aproveitadas! As pessoas mais bem resolvidas que conheço são as que entendem a idade que têm e acham isso maravilhoso.

Acredito que nossa maturidade e vivência só vão evoluindo, crescendo e se aperfeiçoando quando passamos pelas etapas de vida com plenitude. Aproveite sua adolescência com sua chatice e seus questionamentos e suas dúvidas insistentes. Passe seus vinte e poucos anos amando de peito aberto, quebrando a cabeça para escolher uma profissão, defendendo causas improváveis, descobrindo milhões de coisas ao mesmo tempo. E chegue aos trinta se conhecendo, afirmando uma personalidade bem elaborada, carregando uma carga de boas histórias bem vividas, traçando seus caminhos futuros.

Seja feliz com você mesmo, de dentro pra fora! E viva seus próximos anos da forma como eles devem ser: um a um, sem atropelo ou pressa excessiva.

Comentários

Tatiana Linhares. Muitas. Jornalista. Mineira. Tatuada. Outono e primavera. Pão de queijo. Livros. Música. Revistas. Cinema. Teatro. Futebol. Cruzeiro. Viagens de carro. Areia e mar. Esmalte colorido. Cerveja gelada. Família grande. Incontáveis amores. Paixonites agudas. Saudade. Simplicidade. Palavras