COTIDIANO: Precisamos falar sobre Dylan

Um “olá” mal-humorado para você que está torcendo o nariz para o fato de Bob Dylan ter ganhado o Prêmio Nobel de Literatura. Acho que você precisa rever seus pontos de vista! Se você, colega que está me lendo, tem um pouquinho de conhecimento cultural ou mesmo interesse pelo assunto, imagino que esteja feliz da vida pelo Bob. E surpreso por essa demonstração de evolução por parte da Academia Sueca, responsável pelo prêmio.

É importante dizer que o Nobel de Literatura é distribuído desde 1901. Para ganhar o prêmio, o autor tem que ter produzido, ao longo de sua carreira, um trabalho que se destaque pelo conjunto da obra que envolve seus escritos (publicados), sua mentalidade, seu estilo e suas filosofias. Ou seja, o premiado tem que ter um belo e reconhecido conjunto literário!

Eu, na qualidade de escritora, redatora e jornalista, sempre tive o Nobel de Literatura como uma importante referência profissional. Muitas das pessoas que foram laureadas com o prêmio são leituras indispensáveis para quem pretende levar as letras como profissão. Entre os que destaco estão: T.S. Eliot, Winston Churchill, Ernest Hemingway, Samuel Beckett, Pablo Neruda (muito amor!), Gabriel Garcia Marquez (ainda mais amor!!!), José Saramago, J.M. Coetzee. E o maravilhoso Jean-Paul Sartre, que recusou o Nobel alegando que aceitá-lo iria ferir sua identidade filosófica.

Dar esse tipo de prêmio a uma pessoa que passou uma vida inteira transformando palavras em histórias, é reconhecer seu talento, dedicação e esforço. E ver um compositor como Bob Dylan, que marcou gerações com sua forma transgressora de fazer música, ser lembrado nessa categoria é a prova maior de que para a literatura não há amarras criativas. A poesias de suas músicas lhe garantiram um Nobel!

Os chatos de plantão irão achar motivos para desmerecê-lo. Não conseguirão. Os críticos, menos entendidos do que acreditam ser, estão dizendo que outras pessoas mereciam mais que ele. Não vamos desmerecer os coleguinhas, não é pessoal? Muita gente produziu incríveis e expressivos trabalhos literários e ninguém pode tirar isso deles. E Bob Dylan, faz parte dessa turma.

Acredito que esse foi um passo importante para desmistificar o fazer cultural e deixar bem claro que a arte deve ser reconhecida em todos os seus âmbitos! Vamos saudar, brindar e comemorar os artistas maravilhosos que o mundo vem produzindo ano após ano!

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “COTIDIANO”

Comentários

Tatiana Linhares. Muitas. Jornalista. Mineira. Tatuada. Outono e primavera. Pão de queijo. Livros. Música. Revistas. Cinema. Teatro. Futebol. Cruzeiro. Viagens de carro. Areia e mar. Esmalte colorido. Cerveja gelada. Família grande. Incontáveis amores. Paixonites agudas. Saudade. Simplicidade. Palavras