COTIDIANO: Mais do mesmo

Tem hora que certos assuntos ficam repetitivos e cansativos, mas se a gente não insistir neles, as pessoas continuarão sendo incrivelmente difíceis de se entender, compreender e conviver. A vivência humana passa, inevitavelmente, pela interação com o próximo. Como isso pode ser possível se as leis básicas de convivência são tão intensamente deixadas de lado?

A sensação que tenho é que as pessoas se esqueceram que respeito é a base para qualquer tipo de relacionamento humano. E é o respeito em todos os patamares. Afinal de contas, o respeito é uma via de mão dupla: você me respeita, eu te respeito, nós respeitamos todo mundo e todo mundo respeita a gente também… e por aí vai.

Mas acontece que nós perdemos a capacidade de fazer um trabalho – diário – para que essa “troca” de respeitos aconteça constantemente, de forma natural, sem que a gente tenha que ser lembrado da importância de respeitar os outros.

Mesmo eu tendo escrito isso, ainda soa profundamente estranho e irreal. Nós não deveríamos ser treinados para respeitar alguém!

Então, fica aqui meu manifesto para que o respeito seja um sentimento mútuo e fluido, que te faça compreender que mesmo que você não concorde com as escolhas de vida de alguém, essa decisão não é sua! E que você pode, sim, discordar das opiniões alheias, mas não pode considerá-las erradas só por serem diferentes das suas. Não podemos nos esquecer que, da mesma forma que nos sentimos impelidos a impor nossas condutas e pensamentos aos outros, haverá quem queira fazer isso conosco… e nós não vamos gostar.

O movimento é simples: coloque-se no lugar do outro e garanta sua taxa de respeito ao próximo!

Cansou de ler textos meus sobre esse assunto? Okay! Respeite minha necessidade de falar incessantemente dele!

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “COTIDIANO”

Comentários

Tatiana Linhares. Muitas. Jornalista. Mineira. Tatuada. Outono e primavera. Pão de queijo. Livros. Música. Revistas. Cinema. Teatro. Futebol. Cruzeiro. Viagens de carro. Areia e mar. Esmalte colorido. Cerveja gelada. Família grande. Incontáveis amores. Paixonites agudas. Saudade. Simplicidade. Palavras