COTIDANO: Seja filtro!

Hoje, uma amiga muito especial compartilhou uma imagem (que fiz questão de compartilhar) que dizia: “Como as pessoas te tratam é carma delas. Como você reage é o seu. Seja filtro e não esponja.”

Vocês sabem o que significa ser uma esponja? Significa você caminhar pela vida absorvendo tudo de ruim que lhe fazem e lhe desejam. Significa se abalar com palavras rudes, atitudes grosseiras e maus tratos. Significa se deixar levar por fofocas, acreditar em abusos psicológicos, ceder à pressão. Significa se inferiorizar, se submeter, se subestimar, se minimizar.

Ser uma esponja significar você permitir que os outros coloquem nas suas costas os carmas que são deles. Significa ver sua vida estagnada, parada no mesmo lugar. Significa não evoluir, não crescer, não aprender, não ser uma pessoa melhor. Porque o peso do comportamento alheio vira o seu peso.

Nós deveríamos andar pela vida sendo filtros ambulantes. Mostrando que por mais pesada que seja a carga, temos força para carrega-la. Porque ser filtro é ter a capacidade de receber críticas e aprender com elas. É saber que todo mundo erra, mas tem igualmente a chance de corrigir os erros. É lembrar que passos em falso serão dados, mas que voltar atrás e pegar o caminho certo não é vergonha para ninguém.

É ter a consciência de que quem te agride, ofende, humilha, destrata, pressiona, abusa e deseja o mal é o portador de um carma. Não você. Os sentimentos ruins que nos são direcionados só surtem efeito se a gente deixar. Por isso, seja um filtro por onde essa energia pesada passará e sairá transformada em aprendizado e evolução.

Somos maiores do que o mal que nos desejam. Somos mais corajosos do que a covardia que nos obrigam a aceitar. Somos mais leves sem o peso alheio. Somos mais positivos do que a negatividade de quem está perdido na vida.

Ajude quem puder. Console quem precisar de um ombro amigo. Dê a mão para quem está se afogando em si mesmo. Mas esteja bem e inteiro para fazer tudo isso. Transparecemos quem somos. E nos tornamos mais fortes quando entendemos que ainda somos muito pequenos diante de toda a vivência que ainda temos pela frente. Quem transforma seus problemas em soluções sabe exatamente a sensação de se realizar como pessoa de bem. E quem caminha pela vida agregando valores, aproximando pessoas e respeitando o outro sabe que as pedras são menos duras, os espinhos mais flexíveis e as dores mais brandas.

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “COTIDIANO”

Comentários

Tatiana Linhares. Muitas. Jornalista. Mineira. Tatuada. Outono e primavera. Pão de queijo. Livros. Música. Revistas. Cinema. Teatro. Futebol. Cruzeiro. Viagens de carro. Areia e mar. Esmalte colorido. Cerveja gelada. Família grande. Incontáveis amores. Paixonites agudas. Saudade. Simplicidade. Palavras