COMUNICAÇÃO E MARKETING: O feed de notícias do Facebook mudou. Confira a nossa análise!

No final de junho, o Facebook anunciou mais uma mudança no algoritmo do feed de notícias. Essas mudanças afetam diretamente as marcas que utilizam a rede social em suas estratégias de comunicação e marketing digital, pois, agora, a plataforma dará prioridade para as postagens e compartilhamentos feitos por amigos e familiares – o que pode reduzir o acesso aos conteúdos produzidos pelas páginas curtidas pelo usuário.

Essas mudanças, conforme comunicado divulgado pelo Facebook, buscam priorizar os conteúdos que podem ser mais relevantes para os usuários da plataforma: o de pessoas próximas ao seu ciclo social. A decisão foi tomada após uma série comentários e avaliações feitas por internautas sobre o serviço prestado pela rede social.

Dessa forma, o novo feed de notícias da rede social mais popular do mundo levará em consideração três pontos principais:

  • Melhorar a experiência dos usuários que possuem poucos contatos. Essas pessoas costumam ter mais dificuldades em encontrar as postagens de amigos e parentes, pois elas acabam diluídas em meio aos conteúdos das fanpages. Para isso, a regra que impede duas ou mais publicações de uma mesma pessoa de aparecerem em sequência terá uma versão mais branda;
  • Melhorar a experiência dos usuários que possuem muitos contatos. Devido à quantidade de conexões, essas pessoas acabam tendo maior dificuldade em encontrar postagens, compartilhamentos e atualizações de amigos e parentes próximos – ou seja, as pessoas com quem buscam maior interação. Com as novas mudanças, as ações desses amigos e familiares com quem tem mais contatos vão aparecer com mais frequência;
  • Dar uma resposta às avaliações recebidas dos usuários. As pessoas não demonstraram ter muita simpatia por aqueles posts que aparecem na sua timeline só porque algum amigo curtiu ou comentou uma determinada publicação – mesmo que você não seja um curtidor daquela fanpage. Apesar disso, essas postagens continuam fazendo parte da rede social, mas, agora, vão aparecer com uma frequência menor no feed de notícias.

 Para o usuário comum, essas mudanças devem ser muito bem recebidas, afinal, buscam tornar ainda mais agradável a sua experiência na plataforma, além de buscar retomar o sentido inicial das redes sociais: prover maior interação em seu círculo de relacionamento. Porém, para as marcas, empresas e produtores de conteúdo as novas regras têm grande impacto em sua rotina de trabalho.

Em um primeiro momento o que deve acontecer é, novamente, a queda no alcance orgânico – que já não era lá essas coisas. A cada atualização do Facebook fica mais difícil para as empresas conseguirem aparecer organicamente no feed das pessoas. Uma mudança natural, pois o Facebook funciona como uma ferramenta de mídia e nada mais natural do que cobrar para que instituições privadas consigam destaque junto a sua base de usuários.

Por um lado, isso implica em uma necessidade cada vez mais evidente de se destinar recursos exclusivos para serem investidos nessa rede social – o que, para muitas empresas, já acontecem em outras plataformas de comunicação e marketing. Por outro lado, aumenta a necessidade de se produzir conteúdos com mais qualidade e que conquistem os usuários; para isso se torna necessário contar com profissionais especializados e planejamentos eficientes para as redes sociais.

origami

LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “COMUNICAÇÃO E MARKETING”

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.