COMUNICAÇÃO E MARKETING: Google terá recurso para checar veracidade das notícias

A produção de conteúdo para internet nunca foi tão intensa. Se lá no início da web textos, fotos e vídeos circulavam em sites e blogs, agora temos diversas redes sociais que levam esse compartilhamento de informações a outro nível: materiais informativos circulam em grande quantidade e velocidade.

Esse desenvolvimento da internet pode ser compreendido como maior acesso ao conhecimento. Mas o que temos presenciado é um universo propenso ao trabalho de oportunistas, que se utilizam de títulos caça-cliques, informações falsas ou incompletas e nenhuma responsabilidade com seus leitores.

Além da baixa qualidade e da falta de credibilidade dos conteúdos publicados na web, ainda nos deparamos com diversos leitores que não tem o hábito de checar a informações, o que os leva a compartilhar qualquer coisa que pipoca na tela do computador ou smartphone. Ao invés de contribuir para um acesso maior ao conhecimento, o que fazem é propagar o desconhecimento.

O Facebook já atentou para as más práticas na produção e divulgação de conteúdo. A principal rede social do mundo já adotou em seu algoritmo mecanismos para penalizar as fan pages que fazem uso dos títulos caça-cliques. Uma forma de melhorar a experiência para os seus usuários e permitir que eles tenham acesso a informações realmente relevantes.

Agora é a vez da Google tentar coibir a desinformação na internet. Com o anúncio do “Fact Check”, a gigante da tecnologia cria um mecanismo que facilita para os usuários do Google Notícias a identificação dos conteúdos que possuem informações factuais corretas. Mais do que melhorar a experiência do internauta, a iniciativa pretende coibir a disseminação de notícias falsas e boatos.

O “Fact Check” funcionará por meio de uma tag que criadores de conteúdo poderão aplicar aos materiais que divulgarem na internet, mas para ter acesso a essa ferramenta é preciso entender e cumprir algumas exigências da Google. Além disso, a empresa garante que haverá monitoramento para que o recurso não seja usado de maneira errada.

Esse novo recurso gera algumas possibilidades para os profissionais de comunicação e leitores, porém, ainda vamos esperar algum tempo para vermos ele em ação, pois só está disponível para os usuários do Reino Unido e Estados Unidos da América (EUA).

origami

LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA “COMUNICAÇÃO E MARKETING”

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.