COMUNICAÇÃO E MARKETING: Agora é a vez do mobile!

No início do ano o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) referentes a 2014. De acordo com o estudo, os computadores perderam espaço na preferência do brasileiro e foram substituídos pelos celulares e smartphones como principais meios para acessar a internet. Uma mudança cultural que tem impacto direto nas estratégias de comunicação e marketing online.

Segundo o IBGE, a internet está presente em 54,9% dos domicílios particulares permanentes brasileiros – ou 36,8 milhões de residências. Um aumento considerável em relação ao último estudo, divulgado em 2015 com dados referentes a 2013, que apontava que apenas 48% dos domicílios possuíam acesso à internet. Com isso, não só a população brasileira está mais presente no ambiente digital, como também vivencia uma mudança cultural na forma como lida com o universo online.

Dentre as residências com acesso à internet, 80,4% delas (29,6 milhões de lares) utilizam celulares ou smartphones; 76,6% (28,2 milhões) utilizam computadores; 21,9% (8,1 milhões) utilizam tablets; 4,9% (1,8 milhões) utiliza TVs; e 0,9% (0,3 milhões) utiliza outros equipamentos eletrônicos. Vale lembrar que o IBGE, em seu critério de análise, coloca na conta todos os aparelhos usados em uma casa para acessar a web e, por isso, a somatória pode superar os 100%.

O estudo também leva em conta as casas que usam apenas um desses dispositivos para acessar a internet. Em 2013, os computadores eram responsáveis por 42,4% das conexões enquanto celulares, smartphones e tablets correspondiam pelo acesso em 11,5% dos domicílios. Porém, um ano após, em 2014, esse comportamento mudou: 23,1% utilizam apenas celulares, smartphones ou tablets para acessar a web enquanto 17,4% usam exclusivamente os computadores. É a primeira vez no Brasil que o mobile supera os PCs nesse quesito.

Mercado de comunicação

Apesar de só agora o mobile superar os computadores como principal dispositivo de acesso à internet, o mercado de comunicação – sobretudo aqueles profissionais especializados no ambiente digital – já previa essa mudança e vem se estruturando para acompanhar as tendências do público brasileiro. Mesmo assim, a pesquisa do IBGE aponta para mudanças na forma de atuação no mercado de comunicação e marketing.

Por um lado, é necessário produzir conteúdo adequado para o mobile, com peças gráficas e linguagens textuais adaptadas para a visualização na tela de smartphones e tablets. De outro, é necessário adequar sites para o acesso nas plataformas móveis – o que coloca a tecnologia amigável, ou sites responsivos, como uma tendência cada vez mais forte do mercado. Isso sem contar a necessidade de se adequar serviços, como o e-commerce, para uma melhor usabilidade no mobile.

Mas, de uma forma geral, é necessário ficar atento ao comportamento do público que está em constante mudança. É compreendendo o mercado que é possível traçar as estratégias de comunicação e marketing que melhor se enquadram na necessidade de um negócio – e que possam trazer os melhores resultados para as empresas.

CLIQUE AQUI E LEIA OUTROS ARTIGOS DA COLUNA COMUNICAÇÃO E MARKETING

origami

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.