CINEMA: “Bravura Indômita” sob o olhar dos irmãos Cohen

Começo este artigo com uma confissão: não assisti à versão original de “Bravura Indômita” (True Grit, 1969), de Henry Hathaway. Não que isso seja uma obrigação para acompanhar o filme homônimo dirigido pelos irmãos Cohen – Joel e Ethan – em 2010. Mas, sem dúvida, ter acesso a dois pontos de vista sobre uma história permite uma interpretação bastante interessante e densa sobre a obra.

Apesar dos devaneios de um apreciador do cinema, “Bravura Indômita”, na perspectiva dos irmãos Cohen, não se propõe a ser uma refilmagem do trabalho de Hathaway. Pelo contrário, apresenta uma nova abordagem sobre o livro de mesmo nome, escrito por Charles Portis, que inspirou as duas versões cinematográficas. No filme de 2010, o roteiro ganha a alma e o estilo dos Cohen, que buscam dar realismo aos westerns: os heróis existem, mas todos possuem suas falhas – sejam elas morais ou não.

Além do roteiro instigante, “Bravura Indômita” conta com uma escalação de elenco impecável. Se o filme de 1969 contou com a performance de John Wayne, o longa dos irmãos Cohen conta com um inspirado Jeff Bridge que, mais uma vez, usa de seu talento para compor um personagem único e memorável. A sua interpretação do beberrão agente federal Rooster Cogburn rende alguns dos melhores momentos da película. Matt Damon também entrega uma excelente atuação ao dar vida ao Texas Ranger Le Boeuf.

Em um universo dominado por figuras masculinas, como os westerns, quem rouba a cena nesse filme é a jovem Hailee Steinfeld, que, na época, tinha apenas 14 anos e estreava em longas. Foi incumbido a ela interpretar Mattie Ross, uma adolescente forte, determinada e que serve como o fio condutor de toda a trama. A jovem atriz, quando em cena, consegue ofuscar tanto Bridges quanto Damon – o que dá um sabor especial para o filme.

Não se podia esperar uma atuação menos marcante de Steinfeld. Mattie Ross é uma grande criação do escritor Portis, que confere a uma adolescente toda a força que costumamos encontrar nos cowboys de faroestes. E isso em uma época em que conceder esse protagonismo às mulheres não era uma prática comum. E essa é a grande beleza de “Bravura Indômita”.

Para quem não conhece a história, o filme traz Mattie Ross em busca de vingança pelo assassinato de seu pai. Ela, então, contrata o agente federal Rooster Cogburn para caçar Tom Chaney (interpretado por Josh Brolin), o responsável pelo crime. Porém, Mattie tem uma exigência: participar da perseguição. Durante a perseguição aparece o Texas Ranger Le Boeuf, que pretende prender Chaney por outros crimes – o que vai de encontro aos interesses de Mattie.

“Bravura Indômita”, dos irmãos Cohen, traz um velho oeste barra pesada em que conceitos morais não são regras. Assassinato, vingança, orgulho e egoísmo são moedas tão comuns quanto a poeira que sobe do trote dos cavalos. Mas, mesmo assim, há espaço para a construção de relações fraternais e boas doses de humor. Um retrato bem mais real do que o heroísmo sem medidas que cerca o imaginário sobre os cowboys.

FICHA TÉCNICA

Nome original: True Grit
País de origem: EUA
Ano de lançamento: 2010
Gênero: Faroeste, Drama
Duração: 110 minutos
Diretores: Joel e Ethan Cohen
Roteiristas: Joel e Ethan Cohen (baseado no livro homônimo de Charles Portis)
Elenco: Hallee Steinfeld, Jeff Bridges, Matt Damon, Josh Brolin, Barry Pepper, Elizabeth Marvel

TRAILER

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.