CINEMA: Baquetas, bumbos e caixas… o sincopado do Jazz em Whiplash

Prêmio de melhor filme, de acordo com o público no Festival de Sundance em 2014; BAFTA de Cinema nas categorias melhor som e melhor montagem; e Oscar de melhor montagem e melhor mixagem de som. E isso só nas disputas técnicas. Nas individuais podemos destacar o Sundance de melhor diretor para Damien Chazelle e um J.K. Simmons arrebatando todos os prêmios de ator coadjuvante: Oscar, BAFTA, Sindicato dos Atores, Globo de Ouro…

… isso, por si só, já é motivo suficiente para conferir Whiplash: Em Busca da Perfeição, mas ele vai muito além do reconhecimento de crítica e público. O filme é uma grande homenagem à música, mais especificamente ao Jazz, trazendo elementos característicos desse estilo. Estão lá as tradicionais big bands, as jam sessions, as apresentações em bares e, claro, músicos talentosos e dedicados às partituras. Um prato cheio para quem aprecia boa música.

Em Whiplash, Miles Teller interpreta Andrew Neyman que ingressa em um dos principais conservatórios de música dos EUA. Seu sonho é se tornar um dos grandes bateristas do Jazz. Aos poucos vai se destacando até conseguir ingressar na banda principal da universidade. Ela, porém, é regida pelo severo Terence Fletcher – interpretado de maneira magistral por J.K. Simmons.

Logo, Andrew percebe que não terá vida fácil com Fletcher. O professor e regente é conhecido por cobrar excessivamente os seus alunos, inclusive utilizando métodos truculentos e intimidadores. A rotina exaustiva acaba por prejudicar os relacionamentos de Andrew, que se vê em conflito com familiares e a namorada. Entre um conflito e outro, uma decepção e outra e uma conquista e outra, somos presenteados com uma grande trilha sonora – e sequências incríveis de imagens e enquadramentos.

Mais do que um show na produção técnica, Whiplash é daqueles filmes que nos levam a outro nível de reflexão. A cobrança excessiva em busca do sucesso, conceito tão difundido em nossa sociedade, e as consequências de toda essa dedicação, são temas presentes do primeiro ao último minuto do filme. O que é necessário para encontrar um talento genuíno? Estou disposto a abrir mão do quê para me tornar uma lenda?

A isso se soma as expectativas que lançamos sobre os jovens em formação, as metodologias de ensino que em alguns momentos se tornam cruéis e a necessidade de as pessoas se adaptarem para conciliar desejos, relações sociais e a construção de uma vida e uma carreira. O roteiro e a direção de Damien Chazelle conseguem costurar essas reflexões de maneira eficiente e tocante – e as grandes atuações de Miles Teller e J.K. Simmons reforçam o poder e a beleza desse filme.

FICHA TÉCNICA

Nome original: Whiplash
País de origem: EUA
Ano de lançamento: 2015
Gênero: Drama
Duração: 106 minutos
Diretor: Damien Chazelle
Roteiristas: Damien Chazelle
Elenco: Miles Teller, J.K. Simmons, Paul Reiser, Melissa Benoist

TRAILER

 

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.