CINEMA: And the Oscars goes to…

Está quase na hora da principal premiação do cinema mundial: o Oscar. E nós sabemos que todo bom apreciador da sétima arte fica aguardando ansiosamente a premiação, mesmo que não tenha visto todas as produções indicadas, pois sabemos que ali tem grandes filmes, grandes atuações, grandes roteiros, grandes efeitos especiais, grandes direções… Então nos preparemos, pois o Oscar é no próximo domingo, 28 de fevereiro.

Este ano, como em qualquer outro, o que não faltam são os temperos especiais – ou polêmicas, se preferir. A começar pela ausência de negros nas principais categorias de premiação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, e isso pelo segundo ano consecutivo, que tem levantado discussões sobre o racismo na indústria do cinema (já falamos disso aqui). E, vejam só, o apresentador da cerimônia este ano é o Chris Rock, ator negro. Irônico, não?

As discussões e repercussões sobre a falta de diversidade no Oscar foram tão grandes que rendeu a hashtag protesto #OcarsStillSoWhite (aqui e aqui) e fez com que a Academia anunciasse mudanças para promover maior igualdade. Ela, agora, pretende dobrar até 2020 o número de mulheres e negros entre os seus membros.

Quem também está em todos os debates sobre a premiação é Leonardo DiCaprio, que teve a sua atuação no filme “O Regresso” bastante elogiada. Considerado um dos grandes injustiçados pelo Oscar, o ator pode finalmente pode receber a sua primeira estatueta por uma de suas atuações. A expectativa é tão grande que já existem eventos organizados para comemorar uma possível vitória de DiCaprio (como relatado pelo Adoro Cinema).

A premiação

Tradicionalmente, o Oscar acontece após outras importantes premiações e elas servem de termômetro sobre os favoritos e possíveis ganhadores das estatuetas. Claro que novidades podem aparecer, mas o histórico da premiação demonstra claramente essa relação entre as premiações. Das principais categorias, a que está mais dividida é a de melhor filme: “A Grande Aposta”, “O Regresso” e “Spotlight: Segredos Revelados” aparecem na frente. Nas outras, – melhores diretor, atores e atrizes –, os favoritos estão mais claros.

Melhor filme

O Sindicato dos Produtores elegeu “A Grande Aposta” como melhor filme; o Sindicato dos Diretores apontou Alejandro Iñarritu como melhor diretor por “O Regresso”; o Sindicato dos Atores destacou “Spotlight” como o melhor elenco; e o Sindicato dos Roteiristas afirma que “Spotlight” tem o melhor roteiro original e “A Grande Aposta” conta com o melhor roteiro adaptado.

Esses prêmios apontam elementos que podem fazer com que um filme garanta a estatueta. E, como vimos, tudo está bem dividido. Mas vale lembrar que desde 2006 o Sindicado dos Produtores não erra o filme vencedor do Oscar – além de, em 26 anos, ter acertado o vencedor da categoria em 19 situações. Um ponto a mais para “A Grande Aposta”.

Em contrapartida, a Academia costuma seguir o Sindicato dos Diretores na escolha do melhor diretor. Desde 1948, os vencedores das duas premiações só não coincidiram em sete oportunidades – momento favorável para Iñarritu. Para completar, uma produção em que o diretor levou o Oscar possui boas chances de também ser premiada: a casadinha aconteceu em 63 das 87 edições do prêmio.

Melhor diretor

Já tratamos um pouco dessa categoria no tópico anterior. A disputa está entre Inãrritu, pelo “O Regresso”, Lenny Abrahamson, por “O Quarto de Jack”, Tom McCarthy, por “Spotlight: Segredos Revelados”, Adam McKay, por “A Grande Aposta”, e George Miller, por “Mad Max: Estrada da Fúria”. E tudo indica que Iñarritu leva a estatueta pelo segundo ano consecutivo – em 2015 faturou por “Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)”.

Melhores atores

Leonardo DiCaprio é o grande favorito da premiação de melhor ator. Este ano, já angariou algumas conquistas pela sua interpretação em “O Regresso”, entre elas o Globo de Ouro e a concedida pelo Sindicato dos Atores (o que aconteceu pela primeira vez). O Sindicato dos Atores, aliás, acertou 17 vezes o vencedor do Oscar nos últimos 21 anos. É, parece que dessa vez vai.

Com ele concorrem: Eddie Redmayne, por “A Garota Dinamarquesa”, Matt Damon, por “Perdido em Marte”, Bryan Cranston, por “Trumbo: Lista Negra”, e Michael Fassbender, por “Steve Jobs”.

Já na categoria de melhor ator coadjuvante quem desponta como favorito é um surpreendente Sylvester Stallone por “Creed: Nascido para Lutar”, pois faturou o Globo de Ouro e o Critics Choice Awards pela sua atuação. Porém, os demais concorrentes também têm boas chances de vencer a premiação: Tom Hardy, por “O Regresso”, Mark Rylance, por “Ponte dos Espiões”, Mark Ruffalo, por “Spotlight”, e Christian Bale, por “A Grande Aposta”.

Neste caso, não dá para usar a premiação do Sindicato dos Atores como base para o palpite, uma vez que o vencedor deste ano foi Idris Elbra, por Beast for No Nation (filme produzido pela plataforma de streamming Netflix), e que não foi indicado ao Oscar – olha a polêmica em relação aos atores negros aí!

Melhores atrizes

Brie Larson faturou pela primeira vez a premiação do Sindicato dos Atores por seu trabalho em “O Quarto de Jack”, o que a coloca entre as favoritas para o prêmio de melhor atriz. Porém, a disputa é pesada e Cate Blanchet, por seu papel em “Carol”, pode levar a estatueta, afinal já ganhou dois Oscars e conta com outras quatro indicações. Também estão na disputa: Charlotte Rampling, por “45 anos”, Jennifer Lawrence, por “Joy: O Nome do Sucesso”, e Saoirse Ronan, por “Brooklyn”.

Na categoria melhor atriz coadjuvante, o prêmio pode ficar com Alicia Vikander pelo trabalho realizado em “A Garota Dinamarquesa”. Foi ela quem levou o prêmio do Sindicato dos Atores nessa mesma categoria. Junto com ela, estão na disputa: Jennifer Jason Leigh, por “Os Oito Odiados”, Rachel McAdams, por “Spotlight”, Kate Winslet, por “Steve Jobs”, e Rooney Mara, por “Carol”.

Melhores roteiros

“A Grande Aposta” foi premiado pelo Sindicato dos Roteiristas como melhor roteiro adaptado e “Spotlight” faturou como melhor roteiro original. Isso os coloca como favoritos em cada uma dessas disputas. As estatísticas estão a favor deles: desde 1985 o Sindicato acertou 20 vezes o vencedor em cada categoria. Será que se repete este ano?

Também concorrem como melhor roteiro original: “Ex_Machina: Instinto Artificial”, Straight Outta Compton – A História do N.W.A”, “Divertida Mente” e “Ponte dos Espiões”. Na categoria de melhor roteiro adaptado estão: “Brooklyn”, “Carol”, “O Quarto de Jack” e “Perdido em Marte”.

Quais as suas apostas para o Oscar 2016? Deixe o seu palpite nos comentários!

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.