CINEMA: A força dos sabres de luz e naves espaciais

“Há muito tempo numa galáxia muito, muito distante”… o bordão inicial da franquia Star Wars nunca fez tanto sentido para os seus fãs. Desde o lançamento de “Episódio III – A Vingança dos Sith” se passaram 10 anos sem que o universo cinematográfico da série ganhe um novo capítulo. Uma longa espera que se encerra no próximo dia 17 de dezembro, quando as salas de cinema de todo o mundo recebem “O Despertar da Força” – sétimo episódio da guerra estelar.

A enxurrada de discussões, materiais e especulações a respeito dessa nova película apenas demonstra, novamente, a força do universo criado por George Lucas. Força essa que aparecerá no instante em que as luzes do cinema se apagarem e o espectador prender a respiração aguardando o momento que a música tema do Star Wars entoar na sala para, em seguida, dar espaço para que as famosas letras amarelas voem pelo espaço. E, assim, retornar para aquela galáxia que já parecia tão distante.

“O Despertar da Força” traz de volta às telonas alguns dos personagens mais emblemáticos dessa história, com Luke Skywalker, Leia, Han Solo, Chewbacca, C-3PO e R2-D2, além de novos integrantes para esse universo. O que contribui para toda a expectativa a cerca dessa obra. Mas, ao contrário do que o título do filme sugere, a força nunca precisou ser despertada para a franquia Star Wars.

Desde o primeiro filme, “Episódio IV – Uma Nova Esperança”, lançado em 1977, que a série vem contribuindo para moldar a indústria cinematográfica. Foi Star Wars que trouxe e deu importância para os efeitos visuais na telona e ajudou a criar os chamados blockbusters – justamente por dar início a uma preocupação maior com efeitos especiais, altos investimentos em merchandising e marketing.

“Uma Nova Esperança” chegou a ser indicado a dez Oscars e conseguiu angariar seis estatuetas: edição, efeitos visuais, direção de arte, edição de som, mixagem e figurino. Um feito e tanto que ajudou a popularizar os filmes com temáticas voltadas mais para a ficção científica.

Além do seu legado para o universo cinematográfico, a franquia Star Wars, graças ao seu séquito de fãs, tornou-se extremamente lucrativa. O que dá dimensão da sua grandiosidade. A série é a terceira com maior arrecadação de bilheteria de todos os tempos, totalizando US$ 4,41 bilhões de dólares com os seis filmes lançados. Em 1997 conseguiu a maior bilheteria com o relançamento de um filme: “Uma Nova Esperança”, na comemoração dos 20 anos da saga, faturou mais US$ 35 milhões só na primeira semana de exibição.

Se contabilizar tudo o que foi arrecadado com a franquia, incluindo os seus subprodutos (como jogos eletrônicos, desenhos animados, games, livros e outros), chegamos à incrível quantia de US$ 30 bilhões. Para se ter uma ideia do universo de produtos, somente a série literária, por meio da Lucas Licensing, registrou a venda de mais de 100 milhões de livros relacionados a Star Wars – tudo em mais de 850 adaptações.

Vejamos outros números: 279 games lançados para 41 plataformas diferentes; US$ 9 bilhões gerados com a venda de bonecos Star Wars da Hasbro até 2007; e maior projeto de dublagem com mais de 200 mil linhas de diálogos gravados para o jogo “Star Wars: The Old Republic”. Isso para ficar em apenas alguns exemplos.

A força desse gigante está desperta há muito tempo. E na próxima semana eu, assim como vocês leitores, ajudaremos a tornar essa saga um pouquinho mais grandiosa – ao mesmo tempo em que as nossas imaginações mergulham em mais uma história épica – da mesma forma como viemos fazendo nas últimas décadas. E não poderia terminar esse artigo com o bordão que, talvez, seja o maior de toda essa história: “que a força esteja com vocês”!

FICHA TÉCNICA
Nome original: Star Wars – The Force Awakens
Ano: 2015
Gênero: Ação/Aventura/Ficção
País de Origem: EUA
Duração: 135 minutos
Direção: J.J. Abrams
Roteiristas: George Lucas, J.J. Abrams, Lawrence Kasdan, Michael Arndt
Elenco: Adam Driver, Andy Serkis, Anthony Daniels, Carrie Fisher, Daisy Ridley, Domhnall Gleeson, Harrison Ford, John Boyega, Lupita Nyong’o, Mark Hammill, Max von Sydow, Oscar Isaac, Peter Mayhew, Amybeth Hargreaves, Billie Lourd, Gwendoline Christie, Kenny Baker

TRAILER

Comentários

A profissão é jornalista. A diversão é um livro. Mas também pode ser um filme ou uma série. O esporte é futebol - desde que acompanhado do sofá da sala. O universo digital exerce grande interesse. Não dispensa uma xícara de café ou um copinho de cerveja.