Atendendo a pedidos

Uma vez li em algum lugar (que, lógico, não lembro qual) que você sabe que as pessoas gostam do que você escreve em três situações: quando elas usam suas palavras como delas, quando você vira fonte de citações e quando elas começam a fazer pedidos para você escrever sobre as vivências delas.

Pois bem, estou recebendo pedidos! E vou atender um deles que já é pedido recorrente de umas cinco pessoas. “Tati, fala sobre saudade!”, “Tati, saudade não é um bom tema?”, “Povo tá carente, sentindo muita saudade. Porque não se inspira nisso?”.

Gente, eu sou praticamente a melhor amiga da saudade! A gente cresceu juntas, ‘tamo’ aí passando por altas situações unidas, somos unha e carne. Mas eu sou falsa, porque não gosto muito dela. Eu só a suporto. Por isso, tenho dificuldades com esse tema. Porque todo mundo acha a saudade um sentimento meio romântico e melancólico, uma coisa introspectiva e necessária… mas eu acho cruel!

A saudade é má! Se alimenta da dor do outro. Sabe o que acontece, a saudade é um sentimento de quem fica. Alguém da sua família morreu. A saudade é sua. Um amigo se mudou. A saudade é sua. O cara terminou o namoro com você. A saudade é sua. Porque quem foi, tem pessoas novas para conhecer, mundos desconhecidos para explorar, novas bocas para beijar, gente amiga para conhecer, bares desconhecidos para apreciar. Quem foi, tem motivos para não olhar para trás. Quem ficou, olha pra trás o tempo inteiro.

Saudade é reflexo de tudo que você poderia ter feito e ter sido, mas deixou passar. Isso faz da saudade uma coisa pesada, que você vai carregando por onde passa. Ela beira aquela coisa meio torturante e obsessiva.

Isso quer dizer que eu não sinto saudades? Não! Sinto! Sinto muita! Sinto demais! Passei a vida inteira mudando… o que mais sinto é saudade! E continuo detestando assim mesmo. Não acho a saudade bonita. Não acho a saudade agradável. Acho a saudade triste e egoísta.

A única coisa que me faz gostar um pouquinho dela é que me induz a ter mais motivos para sentir saudades! E esses motivos são sempre bons de serem lembrados!

Comentários

Tatiana Linhares. Muitas. Jornalista. Mineira. Tatuada. Outono e primavera. Pão de queijo. Livros. Música. Revistas. Cinema. Teatro. Futebol. Cruzeiro. Viagens de carro. Areia e mar. Esmalte colorido. Cerveja gelada. Família grande. Incontáveis amores. Paixonites agudas. Saudade. Simplicidade. Palavras