Apropriação indevida é imoral, ilegal e deveria engordar!

Antes de tudo já vou deixar claro: uma parte desse texto é livremente inspirada em outro que li recentemente (ontem!), em um perfil do Instagram! Mas, se eu compartilho com a ideia do cara, porque não replicá-la? Pena ele ter pensado nisso antes de mim… “tomei um furo”, pra usar uma expressão jornalística típica de quem perde a exclusividade da notícia! Mas e daí? Seguimos…

Então, no perfil @vidaemtiras, o autor disse o seguinte: “em uma destas releituras clichês de frases feitas que, vez ou outra, invadem a internet – e meteoricamente transformam-se em mantras rasos, incansavelmente compartilhados em duas a cada três legendas de fotos publicadas na rede –, concluiu-se, vejam só, que ‘tudo o que é bom dura o tempo necessário para tornar-se inesquecível’. Não. Nem tudo.”

Li isso e pensei: “gênio!” É isso mesmo! Numa era em que as pessoas se apropriam de todo e qualquer pensamento alheio, sem se esforçarem em ver sentido naquilo, ficou fácil repetir frases prontas e tomar aquilo como verdade! Como funciona esse raciocínio? Se um Caio F. Abreu da vida escrever que “o bom da saudade é poder matá-la”, eu começo a achar que saudade é coisa boa? Mesmo que eu ache que saudade é um sentimento cruel. Mas se o Caio diz que não, quem sou eu pra negar, né?! Sou uma pessoa com liberdade para ter opiniões.

Outra coisa que me irrita profundamente é a tal apropriação do pensamento alheio. Gente, sério! Se o que você está postando nas suas redes sociais não foi escrito por você, diga! É muito feio ver que você teve a cara de pau de postar textos inteiros como se eles fossem seus… isso é roubar o trabalho de quem se esforçou muito para escrevê-lo. Não mata ninguém colocar aspas no começo e no final e o nomezinho do dono do texto lá no final.

Por vezes incontáveis, eu repliquei frases, textos, imagens e fotos de terceiros. Se concordo com aquilo, compartilho. Se traduz meu pensamento naquele momento, bato palmas. Se o conteúdo não tem nada a ver com o que penso, mas é bem escrito… dou a fonte e divulgo em redes sociais. Sou admiradora explícita de quem escreve bem. E sou defensora voraz de que essas pessoas recebam seus méritos.

A palavra “apropriação” é muito bem usada quando você transforma uma ideia bacana em algo no qual você também acredita. Mas é usada de forma vergonhosa quando você usa apropriação como sinônimo de “roubo” e transforma em seu algo que não é. É ilegal! É imoral! E, se engordasse, certamente aconteceria menos!

Comentários

Tatiana Linhares. Muitas. Jornalista. Mineira. Tatuada. Outono e primavera. Pão de queijo. Livros. Música. Revistas. Cinema. Teatro. Futebol. Cruzeiro. Viagens de carro. Areia e mar. Esmalte colorido. Cerveja gelada. Família grande. Incontáveis amores. Paixonites agudas. Saudade. Simplicidade. Palavras